Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FUTEBOL

Cruzeiro perde para o Coimbra, segue fora do G4 do Campeonato Mineiro e em crise

Situação do Cruzeiro continua complicada para conseguir uma das vagas nas semifinais
15/03/2020 19:32 - Estadão Conteúdo


 

Depois de viver uma semana muito agitada por perder duas vezes no estádio do Mineirão e pela demissão e depois volta do técnico Adilson Batista, o Cruzeiro perdeu por 1 a 0 para o Coimbra, neste domingo, pela nona rodada do Campeonato Mineiro. O jogo foi realizado no estádio Independência, em Belo Horizonte, com portões fechados por conta da pandemia do novo coronavírus, denominado Covid-19.

A situação do Cruzeiro continua complicada para conseguir uma das vagas nas semifinais. No momento ocupa a quinta posição com 14 pontos, atrás de Caldense (17), Atlético-MG (18) e América-MG (21). O Coimbra chegou à sua primeira vitória, após quatro empates, e passar a somar sete pontos. Sobe para a 10.ª posição e deixa a zona de rebaixamento para Villa Nova (4) e Tupynambás (3).

A crise pelos lados da Toca da Raposa deve ficar maior. Mesmo porque durante a semana o time perdeu dois jogos no estádio do Mineirão. Caiu diante do rival Atlético-MG por 2 a 1, no maior clássico estadual, e depois foi derrotado pelo CRB por 2 a 0, pela Copa do Brasil. Agora são três derrotas seguidas em apenas oito dias.

Ainda sem saber da determinação da CBF de suspender todas as competições nacionais por tempo indeterminado devido ao coronavírus, Adilson Batista optou por escalar um time misto. A sua preocupação era o jogo de volta contra o CRB, em Maceió, que agora não vai ser disputado. Após a decisão da entidade nacional, a Federação Mineira de Futebol (FMF) também confirmou a mesma medida, paralisando as competições do Módulo I e II.

No primeiro tempo, o Cruzeiro parou nas duas linhas de marcação do Coimbra, por falta de criatividade e de tranquilidade para o último passe antes da finalização. O time visitante ainda tentava armar o contra-ataque na ligação direta do goleiro Glaycon para o ataque. A única chance de gol cruzeirense aconteceu aos 38 minutos após rebote do arqueiro, que Maurício chutou para fora.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou mais sintonizado e avançou a marcação, porém não conseguiu marcar. Nem com a entrada do centroavante boliviano Marcelo Moreno aos 19 minutos no lugar de Thiago. O pior aconteceu aos 39, quando o Coimbra marcou o seu gol. O lateral-direito Vitor Hugo cobrou falta perto da grande área, com chute diagonal, a bola desviou na barreira e tirou do alcance do goleiro Fábio. Não houve mais futebol, nem tempo, para a reação.

Esta foi a primeira vitória do Coimbra na primeira divisão desde a sua fundação em 1986. No ano passado, o clube subiu do Módulo II e agora luta para permanecer na elite. O seu nome, por curiosidade, é uma homenagem a Zico, o Artur Nunes Coimbra.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.