Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Diretor do Corinthians explica que Yony González será comprado em definitivo

Diretor do Corinthians explica que Yony González será comprado em definitivo
06/02/2020 08:32 - ESTADÃO CONTEÚDO


 

O diretor de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, confirmou o acordo com o Benfica pelo atacante Yony González. No entanto, o dirigente explicou que o houve uma modificação na forma do negócio. No primeiro momento, o colombiano chegaria por empréstimo com obrigação de compra caso ele fizesse mais de 30 jogos. Agora, o time paulista será obrigado a comprar 50% do passe após o fim do empréstimo, no meio do ano, sem qualquer relação com o número de partidas feitas.

"O Benfica acabou recebendo propostas de compra, então a gente teve que mudar o formato do negócio. No meu entendimento, é um jogador que tem muito para agregar e melhorar o ataque", justificou o corintiano após a derrota por 1 a 0 da equipe paulista para o Guaraní, no Paraguai, em jogo válido pela segunda fase preliminar da Copa Libertadores.

Duílio não revelou os valores da transferência, mas explicou que o pagamento será parcelado em três anos. O jogador está avaliado pelo Benfica em 6 milhões de euros, desta forma o time alvinegro teria de pagar 3 milhões de euros pela metade do passe do atleta

"Ele foi uma oportunidade. Tentamos o empréstimo até o fim do ano, mas agora é um empréstimo com obrigação de compra. Não descartamos oportunidades, mas, hoje, podemos dizer que estamos satisfeitos com o elenco que temos", afirmou o dirigente.

Quinto reforço do Corinthians para a temporada, Yony González passou por exames médicos no Parque São Jorge, sede do clube em São Paulo, e deve ser anunciado até o final de semana. A negociação, segundo o clube, não tem relação com as conversas sobre a venda de Pedrinho ao Benfica.

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!