Esportes

R$ 200 milhões

A+ A-

Dívidas
do Botafogo serão parceladas em 10 anos

Dívidas
do Botafogo serão parceladas em 10 anos

Continue lendo...

O Botafogo conseguiu nesta quinta-feira uma importante vitória fora dos gramados para a temporada 2015. O clube obteve autorização da Justiça para parcelar em 10 anos o pagamento da dívida trabalhista de aproximadamente R$ 200 milhões em diversas ações, por meio de um Plano Especial de Execução.

Com a decisão, foi suspenso o cumprimento dos mandados de penhora e das ordens judiciais que bloqueavam praticamente toda a receita do clube.

Conforme parecer da procuradora regional do Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ) Deborah Felix, a medida busca garantir um patrimônio mínimo para a sobrevivência do time, de forma a preservar os cerca de 400 postos de trabalho e assegurar o pagamento dos credores nas ações judiciais.

“Não é uma defesa do patrimônio do Botafogo, mas sim uma forma de garantir a manutenção dos contratos ainda vigentes, os direitos trabalhistas desses empregados e o pagamento das dívidas nos processos trabalhistas”, explica a procuradora regional.

Segundo ela, o bloqueio integral de todas as rendas do clube, além de provavelmente não ser suficiente para quitar todas as dívidas, poderia acarretar na extinção das atividades e consequente demissão de todos os trabalhadores.

Futebol

Santos anuncia saída de Kleiton Lima do time feminino após protestos por acusações de assédio

Kleiton Lima foi acusado de assédio sexual por 19 atletas. As acusações partiram de jogadoras santistas em setembro de 2023.

15/04/2024 23h00

Kleiton Lima foi acusado de assédio sexual por 19 atletas. As acusações partiram de jogadoras santistas em setembro de 2023. Foto: Agência Corinthians

Continue Lendo...

Kleiton Lima não é mais técnico do time feminino Santos. Em nota divulgada pelo clube, foi confirmado que o afastamento foi um pedido do técnico "para preservar sua família, sua integridade e o próprio Santos".

Ele foi acusado, ano passado, de assediar atletas que faziam parte do elenco santista em 2023. Após um processo administrativo não ter encontrado indícios de assédio, o clube voltou a contratá-lo, o que gerou protestos de jogadoras de diferentes clubes. Ele nega os casos.

Kleiton Lima foi acusado de assédio sexual por 19 atletas. As acusações partiram de jogadoras santistas em setembro de 2023. Na época, o próprio comandante pediu desligamento do cargo, mas negou ter cometido qualquer ato pelo qual era acusado. Os relatos diziam que o técnico comentava sobre os corpos e a vida sexual das atletas, além de apalpá-las e observá-las no vestiário.

Após a recontratação, o treinador foi apresentado na última semana. Na ocasião, a coordenadora do departamento de futebol feminino do Santos, Thaís Picarte, disse que as denunciantes foram procuradas durante o processo administrativo instaurado pelo clube e que não foram encontrados indícios de assédio.

Entretanto, as goleiras Anna Beatriz, Jully Silva e a zagueira Tayla Carolina retrucaram nas redes sociais dizendo o contrário. Hoje, elas atuam, respectivamente, em São Paulo, Cruzeiro e Grêmio. Ao todo, 14 atletas deixaram o Santos no final da temporada passada.

"Eu não cometi nenhum tipo de assédio. Aquelas cartas anônimas, com descrições insanas, levianas, não me pertencem", disse o técnico na coletiva de apresentação. Ele ainda relatou ter feito um registro de ocorrência por calúnia junto à Polícia Civil pelas cartas. Outro ponto dito por Kleiton é que havia insatisfação de parte do elenco com a comissão técnica pela cobrança para atingir metas.

A nota do Santos desta segunda-feira reitera que o técnico está "convicto de que não cometeu nenhum dos atos pelos quais é acusado", mas que ele entende o desligamento como o melhor caminho. O clube também disse que confia que o assunto tenha sido encerrado. Ainda segundo a nota, Kleiton Lima sofreu até ameaças de morte em razão das acusações feitas no ano passado.

Na última sexta-feira, o Santos enfrentou o Corinthians pelo Brasileirão Feminino. Ao abrir o placar da vitória corintiana por 3 a 1, Victória Albuquerque e demais atletas da equipe atual campeã brasileira protestaram, posando com a mão cobrindo a boca No gol santista, Ketlen comemorou com um abraço em Kleiton Lima

A partida entre Palmeiras e Avaí/Kindermann também teve o gesto de protestos das atletas, durante a execução do hino nacional antes da partida. As jogadoras também tiraram uma foto todas juntas e Letícia e Siméia, camisas 19 dos dois times, viraram de costas, em referência ao número de denúncias feitas contra o treinador.

Pouco antes do jogo entre Santos e Corinthians, o Cruzeiro publicou um vídeo com parte do elenco feminino em campanha contra violência de gênero. O post fala em combate à violência contra a mulher e contra a cultura de assédio, sem fazer menção direta ao caso que envolve o treinador do Santos.

Ainda que o processo administrativo do Santos tenha considerado que não foram encontrados indícios de assédio, há uma investigação do Ministério Público de São Paulo em andamento, sob segredo de Justiça.

Agora, Wesley Otoni vai assumir interinamente o cargo de técnico no Santos. A equipe é a 12ª no campeonato, com apenas um ponto a mais que o Flamengo, primeiro time no Z-4. O time volta a campo no sábado, contra o Avaí/Kindermann, que é o 15º, fora de casa.

 

FUTEBOL

Clubes do Campeonato Brasileiro têm quase 20% de estrangeiros no elenco

Clubes acumulam 126 jogadores estrangeiros em seus elencos, em sua maioria argentinos

14/04/2024 23h00

Continue Lendo...

Os clubes que disputarão o Campeonato Brasileiro deste ano acumulam 126 jogadores estrangeiros em seus elencos, em sua maioria argentinos. O número representa 19,5% do total de atletas.

Os dados são do site Transfermarkt e acompanham uma das novidades do regulamento do Brasileirão 2024, que aumentou para nove o limite de jogadores estrangeiros que podem ser utilizados por partida. Em 2023, cada equipe podia entrar em campo com, no máximo, sete atletas de outras nacionalidades.

Um dos argumentos para a mudança de regra -aprovada por unanimidade pelos clubes- é a tentativa de minimizar o espaço deixado por jovens atletas brasileiros que vão para o exterior.

Os elencos contêm representantes de 16 países, além do Brasil. Argentina, com 42 atletas, é o país que mais cede jogadores, seguido pelo Uruguai, com 23 atletas, e pela Colômbia, com 14.

As demais nacionalidades vêm, em ordem decrescente, de Paraguai, Equador, Chile, Venezuela, Itália, Espanha, Portugal, Angola, Bulgária, Nicarágua, Peru, França e República Democrática do Congo.

Botafogo e Grêmio são as equipes com mais jogadores de outros países, cada um com dez. A SAF (Sociedade Anônima do Futebol) do Botafogo trouxe reforços como o venezuelano Savarino, o uruguaio Damián Suárez e o paraguaio Óscar Romero.

Para esta temporada, o time gaúcho contratou o goleiro argentino Agustín Marchesín e incorporou ao elenco o argentino Pavón, o venezuelano Soteldo e Diego Costa, que é naturalizado espanhol. Os três últimos já estavam no mercado brasileiro em 2023.

A lista de clubes com mais estrangeiros segue com Internacional, Athletico-PR e Fortaleza, cada um com nove jogadores. Para Alessandro Barcellos, presidente do Inter, a possibilidade de contratar no exterior, especialmente na América do Sul, é importante pois amplia o leque de oportunidades para os clubes brasileiros.

"Também não acho que isso atrapalhe o surgimento de novos talentos no país, pois as categorias de base são a verdadeira essência de nossas raízes, tanto de parte técnica quanto financeira", afirmou.

Na visão de Marcelo Paz, CEO da SAF do Fortaleza, o histórico de ídolos estrangeiros no Brasil também favorece a vinda de jogadores. "Fica aquela imagem do vencedor, como foi o Gamarra no Corinthians, o Dario Pereira no São Paulo, o Arrascaeta hoje no Flamengo. Sem dúvida, fica no imaginário do torcedor de que é possível trazer um estrangeiro que vá ser ídolo."

"Em relação à participação dos estrangeiros, no Cuiabá temos poucos em nosso elenco. Mas votamos a favor desse tema por ser algo importante de forma coletiva", disse Cristiano Dresch, presidente do clube matogrossense, com dois estrangeiros no elenco. "Os sul-americanos, que são os principais estrangeiros que estão no Brasil, podem vir e repor essas perdas."

Entre os técnicos, são oito os profissionais estrangeiros, aumentando para 40% o percentual de treinadores não brasileiros entre os times da série A.

Quatro são argentinos -Eduardo Coudet, do Internacional, Juan Pablo Vojvoda, do Fortaleza, Ramón Díaz, do Vasco, e Gabriel Milito, do Atlético-MG- e quatro portugueses -Artur Jorge, do Botafogo, Antônio Oliveira, do Corinthians, Abel Ferreira, do Palmeiras, e Pedro Caixinha, do Red Bull Bragantino.

CONFIRA ABAIXO O NÚMERO DE JOGADORES ESTRANGEIROS POR CLUBES DA SÉRIE A E POR PAÍS DE ORIGEM:

  • Botafogo e Grêmio - 10;
  • Internacional, Athletico e Fortaleza - 9;
  • São Paulo e Vasco - 8;
  • Corinthians, Atlético-MG e Criciúma - 7;
  • Flamengo, Cruzeiro, Bahia e Atlético-GO - 6;
  • Palmeiras e Red Bull Bragantino - 5;
  • Fluminense e Vitória - 3;
  • Cuiabá - 2;
  • Juventude - 0.
  • Argentina - 42;
  • Uruguai - 23;
  • Colômbia - 14;
  • Paraguai - 12;
  • Equador - 9;
  • Chile - 7;
  • Venezuela - 6;
  • Itália - 4;
  • Espanha - 2;
  • Angola, Bulgária, Nicarágua, Portugal, Peru, França e República Democrática do Congo - 1.
     

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).