Esportes

Seleção Brasileira

A+ A-

Dorival chama são-paulinos Rafael e Pablo Maia e palmeirense Murilo na primeira convocação

O goleiro Rafael e o volante Pablo Maia, do São Paulo, e o zagueiro Murilo, do Palmeiras, foram algumas das principais novidades entre os 26 nomes chamados na lista de convocados.

Continue lendo...

Na primeira lista de convocados para a seleção brasileira do técnico Dorival Júnior, divulgada na sede da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), no Rio, nesta sexta-feira (1), o goleiro Rafael e o volante Pablo Maia, do São Paulo, e o zagueiro Murilo, do Palmeiras, foram algumas das principais novidades entre os 26 nomes chamados, assim como o atacante Savinho, do Girona e o zagueiro Beraldo, do PSG.

A convocação também marcou o retorno do meia Lucas Paquetá, do West Ham, que não esteve presente nas últimas convocações devido a uma investigação por manipulação de resultados na Inglaterra.

"É um trabalho minucioso tentando, naturalmente, buscarmos o que de melhor temos neste momento", afirmou Dorival Júnior.

Os nomes chamados marcaram uma mudança importante em relação à última convocação do Brasil, em novembro do ano passado, para as partidas contra Colômbia e Argentina pelas eliminatórias para a Copa de 2026. Dos 26 jogadores na lista, 15 não estiveram presentes na convocação anterior.

"Vamos colocar uma equipe em condições de brigar com qualquer seleção do mundo em igualdade de condições", disse o treinador, que chamou três jogadores campeões da Copa do Brasil com ele no São Paulo. A última vez que jogadores do clube foram convocados para a seleção principal havia sido em setembro de 2021, quando Tite chamou Daniel Alves e Miranda para confrontos contra Chile, Argentina e Peru pelas eliminatórias para a Copa de 2022.

No cargo desde janeiro, o treinador vai estrear à frente da equipe neste mês de março, no amistoso contra a Inglaterra, no dia 23, em Wembley. Na sequência, a seleção também encara a Espanha, dia 26, no estádio Santiago Bernabéu.

"É natural que todos estejam na expectativa de uma estreia em que voltemos a jogar dentro daquilo que estamos acostumados a ver a nossa seleção. Acho que isso já vinha sendo mostrado nas últimas partidas da nossa equipe, independente dos resultados que vinham acontecendo", disse o treinador da seleção brasileira.

Já nos primeiros compromissos, o comandante terá de agir para tirar a seleção de uma complicada crise. Antes de sua chegada, Fernando Diniz ocupava o cargo interinamente. O período com ele, porém, acabou marcado pelo acúmulo de marcas negativas, como a sequência inédita de três derrotas nas Eliminatórias, que deixaram a equipe na sexta posição —a última que garante vaga direta na Copa do Mundo.

Diniz foi contratado sem se desligar do Fluminense, acumulando os dois cargos, pois a intenção da CBF era de que ele seria um "tampão" até a chegada do técnico italiano Carlo Ancelotti, com quem o presidente da confederação assegurava que tinha um acordo verbal. O multicampeão, porém, acabou renovando seu contrato com o Real Madrid no final de dezembro, frustrando os planos do cartola.
Sem poder contar com o treinador europeu e como Diniz não decolou com a seleção, Ednaldo optou por rasgar o plano inicial e buscar uma solução definitiva imediata e definitiva até a Copa de 2026, apostando no profissional que estava no São Paulo.

"Eu não tenho dúvidas que nós estaremos presentes novamente em uma decisão de Copa", afirmou Dorival Júnior nesta sexta-feira.

Quando foi apresentado no início do ano, o treinador afirmou que, apesar do momento ruim da seleção, não seria necessário fazer uma reformulação completa no elenco. O técnico entende que seja hora de trabalhar mais o aspecto psicológico do grupo.

"Não é nem uma mudança de nomes, o que já vem acontecendo de uma maneira gradativa em relação à seleção que jogou a última Copa. É uma mudança emocional, postural. O atleta tem que entender que está aqui vestindo uma camisa muito pesada, referência no mundo todo", disse na ocasião.

Em relação à convocação do meia Lucas Paquetá, Rodrigo Caetano, diretor de seleções, afirmou que o jogador segue atuando normalmente pelo West Ham na Inglaterra, sem qualquer tipo de punição, e que se trata de um atleta de alto nível.

Dorival reconheceu ainda as dificuldades de se adaptar ao cargo de técnico da seleção brasileira, em comparação com o trabalho como treinador de clubes no qual esteve imerso nos últimos 22 anos.

"O trabalho é muito diferente", afirmou. Enquanto nos clubes, a rotina de treinos permite correções no dia seguinte às partidas, na seleção, há um espaçamento maior no trabalho de busca por uma formação ideal. "O primeiro mês [de trabalho à frente da seleção] foi bem complicado", disse o técnico, que aproveitou a convocação para prestar solidariedade aos jogadores do Fortaleza, que ficaram feridos após o ônibus do time ter sido atacado por torcedores do Sport.

"Tenho certeza absoluta que não foi a torcida do Sport, mas meia dúzia de pessoas totalmente descontroladas e que merecem uma punição muito séria e severa", afirmou o treinador, que chegou a comandar o time de Recife no início da carreira, tendo conquistado o Campeonato Pernambucano em 2006.

Dorival também não acredita que a turbulência política enfrentada pela CBF nos últimos meses, como a destituição e, posteriormente, recondução de Ednaldo à presidência, possa atrapalhar seu trabalho. A convocação nesta sexta-feira foi a primeira desde que o presidente da CBF se viu no meio de uma crise institucional que atingiu a confederação no fim de 2023.

"É um assunto em que eu não entro. Tenho a confiança do presidente para fazer meu trabalho daqui para a frente: preparar a equipe, ganhar jogos e chegar a uma Copa do Mundo que será muito disputada", disse durante sua apresentação como técnico da seleção brasileira.
À frente da equipe, além de conviver com a constante instabilidade na direção da CBF e buscar uma melhor pontuação nas Eliminatórias, Dorival terá como desafio recuperar a equipe para a disputa da Copa América deste ano, nos Estados Unidos.

Questionado sobre a decisão da CBF de não paralisar o Campeonato Brasileira durante a disputa da Copa América —que vai de 20 de junho a 14 de julho— Caetano assinalou que o calendário esportivo é bastante apertado, com as Datas Fifa, os torneios nacionais, como o Brasileiro, e internacionais, como o Mundial de Clubes. "Existe o ideal e o possível."
*
GOLEIROS
Bento (Athletico)
Ederson (M. City)
Rafael (São Paulo)*

ZAGUEIROS
Beraldo (PSG)*
Gabriel Magalhães (Arsenal)
Marquinhos (PSG)
Murilo (Palmeiras)*

LATERAIS
Danilo (Juventus)
Yan Couto (Girona)
Ayrton (Flamengo)
Wendel (Porto)

MEIO-CAMPISTAS
André (Fluminense)
Andreas Pereira (Fulham)
Bruno Guimarães (Newcastle)
Casimiro (M. United)
Douglas (Aston Vila)
João Gomes (Wolverhampton)
Lucas Paquetá (West Ham)
Pablo Maia (São Paulo)*

ATACANTES
Endrick (Palmeiras)
Gabriel Martinelli (Arsenal)
Rafinha (Barcelona)
Richarlison (Tottenham)
Rodrygo (Real Madrid)
Savinho (Girona)*
Vinicius Junior (Real Madrid)

*Jogadores convocados pela primeira vez para a seleção principal
 

CAMPEONATO

Dourados encara maior campeão do Estadual em sua primeira final

Equipe fundada em 2020 fará sua estreia na decisão do Campeonato Sul-mato-grossense contra o Operário

12/04/2024 09h00

Jogadores do Dourados durante conversa em treino que antecede a primeira partida decisiva do Estadual, contra o Operário Foto: Franz Maciel

Continue Lendo...

Após classificação inédita para a final do Campeonato Sul-mato-grossense, o Dourados Atlético Clube se prepara durante a semana para enfrentar na decisão o Operário, o maior campeão do Estadual.

O primeiro jogo da final será disputado neste domingo (14), às 15h, no Estádio Frédis Saldivar, o Douradão. A equipe douradense conseguiu a classificação após vencer em casa, no último domingo, o Corumbaense, por 2 a 0, com gols de Pepeto e Luan Rodrigues.

O resultado colocou uma equipe de Dourados de volta para a final após sete anos de jejum. A última vez, em 2016, a final também foi entre equipe de Dourados e Campo Grande, na ocasião o Sete de Dourados foi campeão em duelo contra o Comercial.

De lá para cá a maior cidade do interior do Estado não teve mais representantes em competições nacionais de futebol. 

O Dourados chegou a ser vice-campeão em 2021, porém, na época apenas o campeão garantia vaga para disputar a Copa do Brasil, Copa Verde e Brasileiro Série D, além disso, a última fase do campeonato era decidido através de um hexagonal, sem a disputa da final.

Para esta final o Dourados está em uma sequência de 10 jogos sem perder, a única derrota do DAC na competição foi na fase de grupos contra o Aquidauanense, derrota fora de casa por 1 a 0 no dia 24 de janeiro.

Mesmo com a campanha de líder do grupo B, o Dourados decidiu demitir durante o caminho o técnico Luiz Carlos Cruz para contratar o conceituado treinador Rogério Henrique, que comandou o Costa Rica no início de 2023, equipe que foi campeã do Estadual no ano passado.

Na fase mata-mata o Dourados eliminou nas quartas de final, justamente o Costa Rica, com dois empates no tempo normal, a partida foi para as penalidades no Estádio Douradão, onde o DAC garantiu a classificação. Na semifinal o Dourados enfrentou o Corumbaense, eliminando a equipe em casa.

Sobre o confronto para a final , o treinador do DAC, Rogério Henrique, acredita que os dois jogos serão muito dificeis contra o Operário. 

“Nosso foco agora é pensar em título, temos que entender também que vão ser jogos dificeis contra um gigante do Estado que têm história no cenário nacional. Precisamos fazer valer o nosso mando de campo, diante do nosso torcedor, para estar preparado para esta primeira partida”, disse Rogério.

O zagueiro do Dourados, Thiago Moura, também pontuou a importância para a equipe, de sair com um resultado positivo neste primeiro confronto, que vai ser disputado no Douradão. 

“Estou feliz, contente e motivado para que no domingo possamos conquistar o primeiro objetivo jogando em casa, e depois fazer o resultado em Campo Grande. E, se Deus quiser, vamos alcançar o objetivo de ser campeão colocando o nosso nome na história do clube”, declarou.

OPERÁRIO 

O Galo consegue repetir o feito do ano passado, e chega pela segunda vez consecutiva a final do Estadual. Em 2023 a equipe foi vice-campeã em final contra o Costa Rica.

Desta vez o Operário terá a chance de disputar o último jogo em Campo Grande, já que na fase de grupos a equipe fez a melhor campanha do Estadul, vencendo seis jogos, empatando um, e terminando a primeira fase invicto.

Porém, na sua campanha na fase de mata-mata, o Operário que havia vencido o Ivinhema (quarto colocado do grupo B) no jogo de ida, foi surpreendido em derrota, de 1 a 0, jogando no Jacques da Luz, resultado que levou a decisão para as penalidades, onde o Galo foi o vencedor.

Nestas semifinais o confronto que decidiu o finalista foi entre duas equipes campo-grandenses. O Operário enfrentou a Portuguesa, onde na primeira partida o Galo virou para cima da Lusa, de uma derrota de 2 a 0 no 1º tempo, para uma vitória de 3 a 2 na segunda etapa.

Na partida de volta, o Operário conseguiu segurar o placar de 0 a 0, mantendo a vantagem conquistada em Sidrolândia, e avançando para a final inédita contra o Dourados.

O Galo vai em busca do seu 13º titulo do Sul-mato-grossense, já o DAC pode ser pela primeira vez campeão do Estadual.

Além do título, a conquista do campeonato dá direito a vaga para o Campeonato Brasileiro da Série D e para a Copa Verde de 2025. 

ASSINE O CORREIO DO ESTADO

Esportes

Bolsa Atleta tem número recorde de solicitações em 2024

Programa de patrocínio recebeu a inscrição de 9.076 esportistas

11/04/2024 23h00

Rafael Bello/COB

Continue Lendo...

O Ministério do Esporte informou na tarde desta quinta-feira (11) que as inscrições para o Bolsa Atleta bateu um número de candidaturas no ano de 2024, com 9.076 solicitações. O programa brasileiro de patrocínio de esporte individual, o maior do mundo, tem como novidade a inclusão de gestantes, puérperas, atletas surdos e auxiliares do esporte paralímpico.

“A categoria que mais obteve inscritos foi a Atleta Nacional, com 5.990 esportistas. Em segundo lugar ficou a categoria Internacional, com 1.448. Em seguida, a Estudantil (699), atletas Olímpicos/Paralímpicos e Surdolímpicos (534) e Atletas de Base (405). Na lista, 44,25% são do gênero feminino; 55,75%, do masculino; e 24% são pessoas com deficiência”, informou o Mnistério do Esporte por meio de sua assessoria de imprensa.

As inscrições para a edição 2024 do Bolsa Atleta puderam ser feitas até a última segunda-feira (8). Agora a expectativa é de que a lista de atletas contemplados com o patrocínio seja divulgada entre os dias 10 e 17 de junho.

Em 2023, o programa, que é mantido pelo Governo brasileiro, distribuiu R$ 120,5 milhões para 8.057 atletas. Neste ano a expectativa é de um investimento recorde de R$ 162 milhões.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).