Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PAULISTÃO

Viña treina sem restrições e reforça o Palmeiras; Felipe Melo deve ficar fora

Zagueiro que sentiu dores no músculo da coxa, fez exames e seguirá em tratamento
04/08/2020 02:00 - Estadão Conteúdo


O Palmeiras deve ter o retorno de Matias Viña no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista. Na segunda-feira (3), dia seguinte ao triunfo sobre a Ponte Preta, o lateral-esquerdo treinou sem restrições na Academia de Futebol, ainda que utilizando um capacete especial para protegê-lo de choques. Já o defensor Felipe Melo deve ser desfalque no clássico contra o Corinthians, quarta-feira, em Itaquera.

Viña sofreu uma concussão exatamente diante da equipe alvinegra pela primeira fase do Paulistão. Por isso, vinha treinando em separado, realizando trabalhos técnicos e físicos. Nesta segunda, porém, trabalhou ao lado dos reservas na semifinal do Paulistão, além dos jogadores que entraram durante o duelo, casos de Luan, Bruno Henrique, Zé Rafael, Lucas Lima e Gustavo Scarpa.

Os titulares contra a Ponte Preta fizeram trabalhos regenerativos na fisioterapia e na sala de musculação do centro de excelência. Felipe Melo, que sentiu dores no músculo posterior da coxa esquerda, fez exames e seguirá em tratamento, mas não deve ter condições de atuar na Arena Corinthians.

O atacante Luan Silva, recuperado de uma lesão no músculo anterior da coxa, iniciou a transição física com o preparador Thiago Maldonado, em trabalhos na parte interna e no campo da Academia de Futebol.

O Palmeiras encerra a preparação para enfrentar o Corinthians com uma atividade às 15h30 desta terça-feira, no seu CT. Com a volta de Viña e sem Felipe Melo, o time deve entrar em campo com a seguinte formação: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gómez e Viña; Patrick de Paula, Ramires e Gabriel Menino; Willian, Rony e Luiz Adriano.

 
 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!