Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASILEIRÃO 2019

Fla, Jesus e presidente do Palmeiras são denunciados pelo STJD por reclamações contra arbitragem

Técnico pode ser suspenso por 12 jogos
19/10/2019 17:30 - DAS AGÊNCIAS


A fase do Flamengo é excelente dentro de campo, mas a equipe pode ter problemas nos próximos dias. Isso porque o clube e Jorge Jesus foram denunciados pelo STJD e podem ser punidos pelo órgão de justiça. O julgamento acontecerá na próxima terça-feira, às 15h30, na sede do tribunal, no Rio de Janeiro.

O Flamengo foi denunciado por atrasar dois minutos para retornar ao segundo tempo na partida contra o Athletico Parananense, no último domingo. O clube pode ser multado por um valor entre R$ 100 e 100 mil. A sansão seria aplicada pela infração artigo 191, inciso III, por descumprir o inciso XV do artigo 7 do regulamento geral de competições da CBF de 2019.

O caso de Jorge Jesus é mais complicado. O treinador foi denunciado por ofender a arbitragem e ter uma atitude antidesportiva na entrevista após o jogo contra o Furacão. Portanto, o português foi enquadrado em dois artigos do código brasileiro de justiça desportiva (CBJD): 243-F e 258. Pelo primeiro, o técnico pode ser suspenso por quatro a seis partidas e multa entre R$ 100 e R$ 100 mil. Pelo segundo, Jesus pode encarar uma suspensão de um a seis jogos. Dessa forma, o treinador pode pegar um gancho de até 12 jogos.

Relembre as falas de Jorge Jesus na entrevista coletiva: 

“Sabíamos que o jogo ia ser difícil pela qualidade do Athletico, pelas condições do sintético, jogo completamente diferente. Já viemos preparados. Não vinha preparado para jogar contra duas equipes, contra o árbitro, mas contra o Atlhetico”, afirmou Jesus.

“Quem toma essas decisões tem que ser penalizado. Não pode tomar uma decisão e nem estar no campo para fazer outras asneiras. Não tem capacidade. Nem sei quem foi, mas não pode andar no VAR. Vai para casa, férias. E para não prejudicar o árbitro, que teve decisão certa, mas foi influenciado pelo VAR. Não pode passar impune. Quando um VAR não tem capacidade com todas as ferramentas que tem, não pode. Não tem capacidade, é como todas as profissões, é para os melhores”, completou.

PALMEIRAS

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) denunciou nesta sexta-feira (18) o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, por declarações contra a arbitragem. Após o empate com o Internacional, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, o dirigente reclamou do VAR e indicou favorecimento ao Flamengo, líder da competição nacional.

“Em muitos lances, o VAR não tem atuado em jogos do Flamengo, isso é fato. Ontem foi um exemplo. Tem o jogo do Internacional também, no Maracanã. A gente vem a público pedir uma arbitragem que apite igual para todos”, declarou o presidente alviverde na ocasião.

Galiotte foi enquadrado no artigo 258, inciso II, do do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que coloca como infração o ato de “assumir qualquer conduta contrária à disciplina” e “desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões”. Por ser dirigente, a pena pode ser de 15 a 180 dias.

O presidente do Verdão já possui um histórico de declarações contra árbitros. No ano passado, ele foi suspenso por 45 dias pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) por conta de suas queixas após a final do Campeonato Paulista, perdida nos pênaltis para o rival Corinthians.

Depois da derrota no torneio estadual, Galiotte, irritado com a polêmica arbitragem de Marcelo Aparecido, afirmou que a competição estava “manchada” e se referiu ao campeonato como “Paulistinha”.

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.