Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASILEIRÃO

Éverton Ribeiro sai do banco para comandar vitória do Flamengo sobre Athletico-PR

No Maracanã, partida terminou em 3 a 1 e o rubro-negro entrou para o G4
04/10/2020 18:08 - Estadão Conteúdo


Éverton Ribeiro foi um dos infectados com covid-19 na volta do Flamengo do Equador. Recuperado, ficou à disposição apenas para o jogo deste domingo. 

Começou no banco de reservas, entrou no intervalo e transformou um jogo complicado em boa vitória por 3 a 1 sobre o Athletico-PR.

Depois de um primeiro tempo decepcionante, com domínio dos paranaenses, a entrada de Éverton Ribeiro no lugar de Vitinho, no intervalo, fez o Flamengo se ajustar, pressionar e chegar aos gols do triunfo.

O meia, que vai reforçar a seleção brasileira nas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar contra Bolívia e Peru, coroou a boa apresentação ao fechar a vitória com chute colocado no canto esquerdo de Santos, outro convocado por Tite.

Sem o técnico Domènec Torrent, se recuperando do covid-19, e o auxiliar Jordi Guerrero, diagnóstico com a doença, ficou a cargo de Jordi Gris a missão de dirigir o Flamengo no Maracanã. 

Optou por Vitinho na frente e William Arão na marcação, com a manutenção dos meninos na zaga.

Por causa do desgaste físico, o técnico Eduardo Barros optou por dar descanso a seis titulares. Apenas o goleiro Santos começou jogando no Maracanã. A meta era melhorar o desempenho de somente um ponto como visitante.

E os paranaenses quase surpreenderam com menos de um minuto. O bom goleiro Hugo Souza saiu errado e Alvarado carimbou a trave. 

Os visitantes, mesmo com time bem modificado, ainda criaram outras boas chances na primeira etapa, na qual foram melhor. Pararam em Hugo ou na falta de pontaria.

O Flamengo tinha no trio Arrascaeta, Bruno Henrique e Pedro as melhores jogadas. Mas faltava capricho na hora de estudar as redes de Santos. Pedro parou no goleiro e Vitinho e Bruno Henrique se atrapalharam em lance antes do intervalo. Ambos foram na mesma bola e um impediu o outro de chutar.

Vitinho ficou nos vestiários para a entrada de Éverton Ribeiro. O camisa 7 mostrou o cartão de visitas com bomba para defesa de Santos com um minuto. Pedro quase marcou aos 5. O Flamengo, num segundo tempo elétrico, sufocava.

E foi às redes logo em dose dupla. Primeiro com Pedro, aos 10, brigando pela bola e finalizando bem. Depois, aos 13, em cobrança de pênalti segura de Bruno Henrique.

O Athletico-PR ainda descontou com Renato Kayser, de cabeça. Apesar do gol sofrido, destaque para os meninos flamenguistas da defesa. Hugo foi bem no gol e Gabriel Noga e Natan mostraram firmeza na defesa.

Faltava, ainda, o gol de Éverton Ribeiro. Ele surgiu aos 31. Ajeitada de Arrascaeta e batida colocada no canto direito do goleiro. O Flamengo acordou na etapa final e venceu com merecimento.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 3 x 1 Athletico-PR

Flamengo - Hugo Souza; Isla, Gabriel Noga, Natan e Filipe Luís (Ramon); William Arão, Gerson e Arrascaeta (Diego); Vitinho (Éverton Ribeiro), Bruno Henrique (Michael) e Pedro (Lincoln). Técnico - Jordi Gris (interino).

Athletico-PR - Santos; Léo Gomes (Wellington), Zé Ivaldo, Aguilar e Abner Vinícius; Alvarado (Ravanelli), Richard (Christian), Lucho Gonzalez (Erick) e Jorginho (Walter); Carlos Eduardo e Renato Kayser. Técnico - Eduardo Barros.

GOLS - Pedro, aos 10, Bruno Henrique, aos 13, Renato Kayser aos 21 e Everton Ribeiro aos 31 minutos do segundo tempo.

JUIZ - Rodrigo Dalonso Ferreira.

CARTÃO AMARELO - Bruno Henrique, Gabriel Noga e Filipe Luís (Flamengo) e Wellington, Chetoan, Richard e Erick (Athletico-PR)

RENDA E PÚBLICO - Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL - Maracanã, no Rio.

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!