Esportes

disputa

A+ A-

Fluminense joga contra um São Paulo em crise

Fluminense joga contra um São Paulo em crise

Gazeta Press

22/05/2011 - 00h01
Continue lendo...

A estreia de Fluminense e São Paulo no Campeonato Brasileiro não será em meio ao clima esperado pelos dois clubes. Enquanto o atual campeão nacional chega de eliminações no Carioca e também na Libertadores, os paulistas se sentem obrigados a vencer para acabar com uma forte crise que já dura mais de uma semana. Neste domingo, às 18h30 (de Brasília), os clubes se enfrentam em busca de tranquilidade, no estádio de São Januário.

O Fluminense começa o Campeonato Brasileiro em um clima de desconfiança após a saída da Libertadores. Os tricolores seguem sob o comando do técnico interino Enderson Moreira, que não poderá contar com o volante Diguinho. O jogador sofreu um estiramento na coxa e foi vetado. Diogo treinou entre os titulares e deverá ser seu substituto. SOuza corre por fora pela vaga.

No entanto, o treinador terá a volta do meia Deco. ELe treinou normalmente na sexta-feira e confirmou presença no confronto. Enderson Moreira comemorou o seu retorno aos gramados.

- Deco é um jogador que a gente não pode nem comentar muito porque é notório para todos o seu talento. Ele é muito inteligente, sabe se posicionar em campo e organizar o time na frente. É um jogador diferenciado por tudo que fez e pode fazer pelo Fluminense - disse.

Já o atacante Fred éa única dúvida. O capitão e recém-convocado para a seleção está com amigdalite e sinusite, mas ainda tem chance de entrar em campo no domingo. Caso não consiga se recuperar, Rodriguinho será seu substituto. Araújo segue fora e pode ser dispensado nos próximos dias. O comandante tricolor elogiou o possível titular.

- Rodriguinho vai entrar por opção. É claro que contávamos com o Araújo, mas o Rodriguinho, eu sempre fiz questão de tê-lo presente, porque dá velocidade, é um jogador de força, muito importante para aquilo que a gente pensa neste momento. Infelizmente, não contamos com ele na Libertadores, mas passamos a contar no Brasileiro - declarou.

Depois de o técnico Paulo César Carpegiani quase ser demitido do cargo por conta da queda na Copa do Brasil diante do Avaí, o São Paulo ainda passou por mudanças em sua diretoria até finalmente ter a chance de espantar a crise dentro de campo.

- Sabemos que temos jogadores de qualidade e condições de vencer o Brasileiro. Talvez a crise tenha sido tão grande porque, depois das saídas de Flamengo e Palmeiras, o São Paulo era o favoritíssimo na Copa do Brasil, mas não existe mais equipe fraca como antigamente. Talvez a diretoria tenha acertado agora em manter o Paulo, que já conhece o grupo e sabe as posições certas de cada um -, analisou o zagueiro Alex Silva.

Mesmo assim, o treinador inicia o campeonato pressionado, pois precisa de uma sequência satisfatória para não ser ainda mais criticado nos bastidores do clube. Só uma série de vitória pode dar tempo a Carpegiani e paz ao elenco, que já foi alvo de protestos da torcida.

Apesar da frustração pela queda no torneio de mata-mata, o garoto Lucas quer aproveitar o lado positivo de não ter outras competições neste momento. Nos anos anteriores, o Tricolor paulista iniciou o Brasileirão sem tanta atenção, já que se concentrava mais na Libertadores disputada simultaneamente.

- Isso pode ajudar. Quando você entra em uma só competição, sem se preocupar com outras, o foco acaba sendo somente nela. Temos de ver por esse lado. Nós queremos voltar à Libertadores e voltar a conquistar títulos. Este é um campeonato de pontos corridos, não podemos vacilar neste começo -, alertou.

Carpegiani tem problemas para escalar a defesa nesta estreia do Brasileirão. O trio de zaga titular está entregue ao departamento médico. Miranda e Rhodolfo devem ficar fora do confronto, enquanto Alex Silva ainda alimenta esperança de se recuperar a tempo. Luiz Eduardo, Xandão e Bruno Uvini são as opções para o setor.

Campeonato Sul-Mato-Grossense

Gian Rodrigues é anunciado como o novo treinador do Costa Rica

O comandante de 52 anos, terá a sua primeira experiência em clubes de Mato Grosso do Sul

01/03/2024 14h23

Foto: Renan Muniz/Caldense

Continue Lendo...

Gian Rodrigues é o novo treinador do Costa Rica. O comandante de 52 anos, estava no Democrata de Governador Valadares (MG), e foi anunciado pelo CREC na manhã de hoje (1), pelas redes sociais.   

Ainda de acordo com a nota do clube, Gian não estará no banco de reservas contra o Operário, neste final de semana, no Estádio Laertão, pela 9º rodada do Campeonato Sul-Mato-Grossense.  

“A partir de segunda-feira, o novo comandante se junta ao elenco e dá início aos trabalhos ao lado de algumas peças que irão reforçar o nosso time. Desejamos sucesso e que sua passagem seja repleta de conquistas”, diz a nota do CREC.  

A Cobra do Norte passa por momentos de instabilidade no campeonato estadual. Com 10 pontos em seis jogos, o CREC se encontra na terceira colocação do Grupo A. Operário é líder com 14 pontos e a Portuguesa vem logo atrás com 12 pontos.  


Quem é Gian Rodrigues. 

O mineiro de 52 anos, foi demitido do Democrata GV (MG), na última segunda-feira (26), após três derrotas no campeonato mineiro. 

Gian chegou ao clube mineiro em novembro do ano passado, mas acabou não agradando a torcida e nem os dirigentes pela campanha irregular na competição. Pelo Democrata  de Governador Valadares, Gian conquistou uma vitória, um empate e cinco derrotas. O clube mineiro vai disputar o triangular final de rebaixamento no Campeonato Mineiro.

O comandante teve experiências apenas em clubes de Minas Gerais. Ele já passou pelo  Caldense, Primavera e o Patrocinense.  

 

Assine o Correio do Estado.   

Estadual

Em partida eletrizante, Lusa vence o Náutico em jogo polêmico com acusações de racismo

O zagueiro da Portuguesa, Vinicius Machado acusou um policial militar de racismo; o clube formalizou a denúncia na manhã de hoje (1).

01/03/2024 13h26

Jogo quente acusações de racismo, marcou o eletrizante Portuguesa 4x3 Náutico pelo Campeonato de MS Foto: Luciano Siqueira/ Portuguesa

Continue Lendo...

Em partida eletrizante com sete gols, a Portuguesa venceu o Náutico em jogo polêmico, no Estádio Jacques da Luz, na noite de ontem (29), pela 7º rodada do Campeonato Estadual. Com a vitória, a Lusa sobe na tabela com 12 pontos e cola no Operário em busca da melhor campanha na competição.  

O primeiro gol da partida aconteceu aos 17 minutos da primeira etapa, quando em uma saída errada na defesa adversária, João Paulo deu um lindo passe para Lucas Caetano, que ganhou a disputa com o goleiro Marcão e a bola sobrou para Felipe que empurrou com o gol vazio, abrindo o placar para o Náutico, 1 a 0. 


Logo após aos 18 minutos, David caiu dentro da área, mas o juiz não viu falta. Minutos depois, o árbitro corrigiu a decisão com ajuda do bandeira e marcou pênalti. O meia Vieira foi para a cobrança, mas o goleiro adversário espalmou, mas a bola sobrou para Raylan deixar o placar tudo igual.  

 Foto: Luciano Siqueira/ Portuguesa

Mais no finalzinho do primeiro tempo, aos 43 minutos o Náutico pulou na frente com o atacante Lucas Caetano. A vantagem durou poucos minutos, quando o meia David ganhou da marcação adversária na velocidade e empatou a partida em 2 a 2.  


Na volta do segundo tempo, as emoções continuaram e Lucas Caetano novamente marca o 3º gol do Jacaré Alviverde. A Lusa conseguiu igualar o resultado após um lindo voleio de dudu, que fez 3 a 3. 

O meia da Portuguesa brilhou novamente,  aos 21 minutos, com Dudu deu uma linda assistência para Rhuan, fazer o 4 a 3. 


Com a vitória, a Lusa chega aos 12 pontos e cola no Operário na vice-liderança do grupo A. O Costa Rica e o Coxim vem logo  atrás. Já o Náutico está rebaixado para a Série B do Estadual.  


Jogador acusa policial de racismo  

Reprodução

O clássico entre Portuguesa e Náutico tinha tudo para ser um dos melhores jogos do Campeonato Sul-Mato-Grossense, se não fosse as cenas lamentáveis de racismo que aconteceram aos 18 minutos do primeiro tempo. 

O lance polêmico foi um pênalti para a Lusa em que que o árbitro demorou para marcar. Os atletas do banco de reservas reclamaram bastante do lance, quando uma equipe policial que fazia a segurança do jogo, entrou em campo, sem a solicitação do árbitro da partida, João Bosco Echeverria. 

Segundo a nota da PM ao Correio do Estado, "na observação do comandante que cuidava da equipe que estava no estádio, foi necessária a intervenção da polícia, a fim de resguardar a equipe de arbitragem e atletas. Após cerca de 20 minutos, os ânimos se acalmaram e a partida pode ser reiniciada sem maiores problemas", relatou.   

De acordo com a assessoria da Portuguesa, no meio do bate-boca, o zagueiro Vinícius Machado apontou para o policial o acusando de racismo. 

O zagueiro tentou sair de campo, mas a comissão técnica da Lusa acalmou os ânimos e o atleta decidiu ficar em campo, visivelmente abalado.  

Questionado sobre o caso, a assessoria da Polícia Militar disse que a "instituição não compactua com qualquer tipo de desvio de conduta de seus integrantes, e que está investigando o caso" 

Ainda de acordo com a assessoria da Portuguesa, o zagueiro Vinicius Machado, juntamente com a equipe jurídica, formalizou a denúncia de racismo na Corregedoria Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, na manhã de hoje (1). 

 

 

Confirma a nota da Portuguesa nas redes sociaiss: 

Divulgação/ 

Assine o Correio do Estado.   

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).