Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FUTEBOL

Botafogo vence reservas do São Paulo e deixa zona de rebaixamento do Paulistão

Time de Ribeirão Preto marca no segundo tempo e agora respira no Estadual
08/03/2020 17:44 - Estadão Conteúdo


 

Atuando com o time reserva, o São Paulo perdeu para o Botafogo por 1 a 0, neste domingo, em Ribeirão Preto, pela nona rodada do Campeonato Paulista. Didi marcou o único gol da partida, no segundo tempo.

Apesar do resultado, o time do Morumbi segue na liderança do Grupo C com 15 pontos, dois à frente do Mirassol. O Botafogo, que iniciou a rodada na última posição na classificação geral, chegou aos oito pontos e deixou a zona do rebaixamento. É, porém, o lanterna da chave B.

Em relação ao time que perdeu para o Binacional na última quinta-feira, no Peru, na estreia pela Copa Libertadores, apenas o goleiro Tiago Volpi começou a partida em Ribeirão Preto como titular. O objetivo do técnico Fernando Diniz foi dar um tempo maior de recuperação física para os jogadores que atuaram na altitude de 3.825 metros acima do nível do mar, em Juliaca.

O São Paulo volta a campo nesta quarta-feira, quando encara a LDU, às 21h30, no Morumbi, pela 2ª rodada do Grupo D da Libertadores. O time equatoriano estreou com vitória sobre o River Plate (3 a 0). Pelo Campeonato Paulista, na décima rodada, o São Paulo fará clássico com o Santos, sábado, às 19h, novamente no Morumbi. Já o Botafogo vai a Barueri na sexta-feira, onde enfrenta o Oeste, em um duelo direito na luta contra o rebaixamento à Série A2.

Mesmo tendo o terceiro melhor ataque do Paulistão com 12 gols, a derrota em Ribeirão marcou o terceiro jogo do São Paulo sem marcar no torneio. Os outros dois jogos foram os clássicos contra Palmeiras e Corinthians (ambos 0 a 0).

O JOGO - Como era de se esperar, o São Paulo exibiu diferença técnica em relação aos titulares e também falta de entrosamento no primeiro tempo. Mantendo o estilo de jogo orientado por Fernando Diniz, o time ficou com a posse de bola (67%), demonstrou organização e disciplina tática, mas não teve objetividade e enfrentou problemas na criação e finalizações.

A primeira e única boa chance do São Paulo em toda primeira etapa aconteceu somente aos 25 minutos, quando Shaylon arriscou um chute de fora da área e acertou o travessão do goleiro Darley Após os 35, o Botafogo cresceu na partida e passou a pressionar a equipe, mas o time de Ribeirão Preto pecou nas finalizações nas oportunidades em que chegou com relativo perigo ao gol de Volpi.

O segundo tempo manteve o panorama do primeiro. Com a posse de bola, o São Paulo não sabia o que fazer. Tinha pouca capacidade de criação, sem levar perigo ao gol do Botafogo.

Pressionado para deixar a zona do rebaixamento, o time de Ribeirão Preto se lançou ao ataque. Aos 19, Ronald chutou forte e acertou o peito de Tiago Volpi. Aos 26 foi a vez de Victor Bolt chutar de fora da área e obrigar o goleiro a espalmar para escanteio. No minuto seguinte, o Botafogo chegou ao gol. Após cobrança de escanteio, Didi subiu mais que Shaylon e cabeceou, Volpi não conseguiu fazer a defesa e a bola entrou.

O Botafogo ainda esteve perto do segundo gol aos 37, mas Volpi fez bela defesa após a conclusão de Wellington. Nos acréscimos, Toró ainda acertou a trave do goleiro Darley, na melhor chance do São Paulo em toda a segunda etapa.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 1 x 0 SÃO PAULO

BOTAFOGO - Darley; Caíque Sá (Val), Didi, Robson e Gilson; Victor Bolt, Naldo e Matheus Anjos (Luketa); Ronald (Gabriel Calabres), Rafinha e Wellington. Técnico: Claudinei Oliveira.

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Diego (Lucas Fasson), Luan, Anderson Martins e Everton (Wellington); Liziero, Rodrigo Nestor e Shaylon; Fabinho (Tréllez), Brenner e Toró. Técnico: Fernando Diniz.

GOL - Didi, aos 27 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Flávio Rodrigues de Souza.

CARTÕES AMARELOS - Caíque Sá e Toró.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.

 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.