Esportes

Esportes

Juiz brasileiro diz que oficial da final reconheceu erro ao punir Esquiva

Juiz brasileiro diz que oficial da final reconheceu erro ao punir Esquiva

globoesporte.com

16/08/2012 - 21h00
Continue lendo...

Árbitro principal da final olímpica dos pesos-médios entre o brasileiro Esquiva Falcão e o japonês Ryota Murata, o polonês Mariusz Gorny reconheceu participação direta na derrota do pugilista capixaba. Após a luta, o juiz admitiu ao oficial Jones Kennedy, primeiro brasileiro a arbitrar no boxe em Olimpíadas, que a punição por excesso de contato físico definiu o resultado do combate (ouro para Murata, prata para Esquiva). Gorny achava que o atleta do Brasil não seria tão prejudicado pela penalidade. No entanto, o japonês ganhou dois pontos, venceu a luta por uma diferença de apenas um (14 a 13) e ficou com o título em Londres.

- Depois da final, ele veio conversar comigo e disse: "Kennedy, pensei que o brasileiro estava ganhando por quatro pontos. Achei que a punição não influenciaria o resultado" - revelou o árbitro paraense.

Kennedy, porém, não acredita que a punição foi um erro, mas sim uma precipitação. De acordo com o árbitro, Gorny também deveria ter aplicado a pena a Murata, já que os dois pugilistas estavam se agarrando. Uma outra avaliação do brasileiro foi que o polonês poderia ter deixado o combate terminar, pois faltava apenas um minuto para o sino soar.

O erro, porém, fica mais evidenciado pelo ranking que a Associação Internacional de Boxe (Aiba) faz do desempenho de todos os árbitros nas Olimpíadas. Depois dessa luta, o experiente oficial sofreu consequências negativas e caiu no conceito da entidade.

- Ele tem mais de 25 anos de arbitragem e faz parte do quadro da Aiba. Por causa dessa luta, ele caiu para nono lugar, mas antes estava em terceiro - destacou Kennedy, que ficou justamente na terceira posição da lista.

Esquiva saiu do ringue contente pela inédita prata para o boxe brasileiro, mas também achou injusta a punição sofrida. Além dele, o irmão Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo ganharam a medalha de bronze em Londres.

Esporte

Carro de piloto norte-americano voa e capota em acidente na Indy

O piloto foi resgatado após o carro capotar. Ele foi colocado em uma maca e levado em uma ambulância para um hospital próximo ao autódromo.

14/07/2024 23h00

Reprodução/

Continue Lendo...

O GP de Iowa 2 da Indy, disputado neste domingo (14), ficou marcado por um acidente impressionante. O carro de Sting Ray Robb deu uma "cambalhota" no ar após bater no veículo de Alexander Rossi.

O acidente aconteceu na última volta da corrida. Rossi diminuiu a velocidade, o carro de Robb tocou na traseira e foi lançado no ar. Ele subiu e capotou.
O carro de Robb caiu de cabeça para baixo. Após tocar o chão novamente, o veículo ainda arrastou por alguns metros.

O piloto foi resgatado após o carro ser virado. Ele foi colocado em uma maca e levado a uma ambulância, e fez sinal de positivo para a arquibancada.

Robb está "está acordado, atento e de bom humor", disse comunicado. A publicação foi feita nas redes de Robb e da equipe AJ Foyt Racing. Ainda de acordo com o informe, ele foi transportado, de avião, para um hospital para avaliações adicionais.

A corrida foi vencida por Will Power. O australiano ultrapassou o líder em pontos Alex Palou no último pit stop e conseguiu segurar o triunfo.

 

 

 

*Informações da Folhapress 

Esportes

Wimbledon: Alcaraz Vence Djokovic pela segunda vez consecutiva

Espanhol de 21 anos derrotou o rival por 3 sets a 0

14/07/2024 12h26

Reprodução: Wimbledon via X

Continue Lendo...

Campeão de Wimbledon em 2023, o tenista espanhol Carlos Alcaraz, de 21 anos, reafirmou sua posição neste domingo (14) ao vencer novamente o sérvio Novak Djokovic, de 37 anos, na final de simples masculina.

Em uma partida disputada para Djokovic, que até então havia perdido menos de seis saques no torneio, Alcaraz não baixou a guarda do início ao fim e derrotou o rival por 3 sets a 0, com parciais de 6-2, 6-2, 7-6. O primeiro e o segundo sets indicavam vitória para o tenista espanhol. No terceiro, Djokovic reagiu de forma mais enérgica, levando a torcida ao êxtase em alguns momentos.

No ano passado, Alcaraz começou a partida mais passivo, crescendo gradativamente para mostrar por que é considerado um dos grandes nomes da nova geração. Em uma partida de 4 horas e 42 minutos, o espanhol se impôs e conquistou seu primeiro título na grama de Londres, em 3 sets a 2, com parciais de 1-6, 7-6, 6-1, 3-6 e 6-4.

Este é o quarto título de Grand Slam conquistado por Alcaraz, que venceu o Aberto dos EUA (quadra dura) de 2022, Wimbledon (grama) em 2023 e o Roland Garros (saibro) em junho deste ano. Nesta última vitória, ao derrotar o alemão Alexander Zverev, de 27 anos, na final do Aberto da França, o espanhol se tornou o tenista mais jovem a conquistar torneios do Grand Slam em três superfícies diferentes -- saibro, grama e piso duro.

Também em Roland Garros, Djokovic escapou de uma eliminação precoce, bateu recorde de vitórias em Grand Slams e se tornou o tenista com mais triunfos na carreira nos quatro torneios do Grand Slam (Abertos da Austrália, França e EUA e Wimbledon), com 370. Das três partidas mais longas do torneio deste ano, o sérvio jogou duas: 4 horas e 39 minutos contra Cerúndolo, e 4 horas e 29 minutos contra o italiano Lorenzo Musetti. O tenista sérvio sofreu uma lesão durante a vitória nas oitavas de final e saiu da competição.

Além de participar do torneio individual nos Jogos Olímpicos de Paris, Alcaraz irá disputar a modalidade dupla com o também espanhol Rafael Nadal. O anúncio foi feito pelo técnico David Ferrer em um evento da Federação Espanhola de Tênis, em Barcelona, onde também foi anunciada a ausência de Paula Badosa. Nadal, que regressou às competições em meados de abril, foi convocado apesar do 264º lugar no ranking ATP, após 16 meses quase sem jogar devido a lesões.

Maior campeão de Grand Slam da história, Djokovic vai para sua quinta participação em Olimpíadas, em busca de um ouro inédito. Ele foi bronze em sua estreia, em Pequim 2008, e quarto colocado em Londres 2012 e Tóquio 2020. Na Rio 2016, o sérvio caiu na estreia. Nas duplas, seu melhor desempenho foi o quarto lugar de Tóquio nas duplas mistas. Este ano ele não disputará a modalidade.

O torneio de tênis na capital francesa será realizado de 27 de julho a 4 de agosto nas mesmas quadras de saibro de Roland Garros, torneio que Nadal venceu 14 vezes.

Com FolhaPress

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).