Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MINEIRO

Keno é regularizado e pode estrear pelo Atlético-MG hoje

Clube inscreveu o jogador no Boletim Informartivo da CBF e agora poderá utilizá-lo na partida contra o Patrocinense
29/07/2020 04:00 - Estadão Conteúdo


O Atlético Mineiro terá um reforço para o seu último compromisso na primeira fase do Campeonato Estadual. Na terça-feira (28), o clube regularizou o contrato de Keno, inscreveu o jogador no Boletim Informartivo da CBF e agora poderá utilizá-lo na partida contra o Patrocinense, nesta quarta-feira, às 20h30 (horário de Mato Grosso do Sul), no Mineirão.

Keno, de 30 anos, foi adquirido pelo Atlético-MG junto ao Pyramids, do Egito. O atacante, porém, antes estava cedido por empréstimo ao Al-Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, e só pôde ter o seu contrato regularizado depois da oficialização da rescisão do seu vínculo. Ele assinou um acordo até dezembro de 2023 com o clube mineiro.

Além de Keno, o Atlético fechou cinco contratações durante o período de paralisação das competições, sendo que todos já haviam sido regularizados. Junior Alonso e Marrony, inclusive, foram titulares no empate por 1 a 1 com o América, no último domingo, pela penúltima rodada do Mineiro, enquanto Alan Franco e Léo Sena entraram durante o segundo tempo. Já Bueno não deixou o banco.

A maior parte desses reforços chegou ao Atlético com a ajuda financeira de parceiros. No caso de Keno, o time usará recursos próprios, desembolsando US$ 2,3 milhões (aproximadamente R$ 11,85 milhões) ao Pyramids.

O Atlético é o quarto colocado do Campeonato Mineiro com 19 pontos e precisa vencer o Patrocinense para avançar às semifinais. Em caso de empate ou derrota, estará eliminado se o Cruzeiro vencer a Caldense em Poços de Caldas.

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.