Esportes

ESPORTE

Ministério do Esporte garante R$ 3 milhões para desenvolvimento de programa em MS

Ministério do Esporte garante R$ 3 milhões para desenvolvimento de programa em MS

TARYNE ZOTTINO

15/02/2012 - 18h00
Continue lendo...

Em convênio com o Ministério do Esporte, o Governo de Mato Grosso do Sul receberá recursos financeiros de R$ 3 milhões para desenvolvimento do programa Segundo Tempo em 80 núcleos, 74 deles no interior do Estado. O processo de seleção acontecerá no mês de março, com 167 vagas.

Programa

O Segundo Tempo tem como público alvo crianças, adolescentes e jovens, com idades entre 6 e 17 anos, matriculados em escolas públicas e em situação de vulnerabilidade social. Cada núcleo funcionará 20h e atenderá cerca de 100 pessoas, com atividades esportivas.
 

Mudanças

Federação de Futebol muda de endereço em busca de novos ares

O novo prédio será inaugurado na noite desta terça-feira (25) como parte da mudança radical na política da federação de futebol.

24/06/2024 18h14

Nova seda da FFMS fica na rua 14 de julho

Nova seda da FFMS fica na rua 14 de julho Imagens/ Google- Ilustração

Continue Lendo...

Em busca de organizar o futebol sul-mato-grossense, o presidente interino da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), Estevão Petrallas, iniciou os trabalhos para reorganizar a entidade e avançar na organização dos campeonatos de base e do Sul-Mato-Grossense da Série B, que começa em agosto.

Um de seus primeiros atos será a mudança da sede da FFMS. Nesta terça-feira (25), às 18h, será inaugurada a nova sede da entidade, localizada na rua 14 de junho, na Vila Glória.

Desde sua nomeação, assinada pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues, em 27 de maio, Estevão Petrallás enfrentou diversas críticas por não ter comunicado aos clubes que se apresentaria como gestor interino na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Sua postura irritou os clubes e colocou seu nome em cheque na frente da federação, após o afastamento do ex-presidente Francisco Cezário, acusado de desvios de recursos e preso durante a Operação Cartão Vermelho.

"Seu nome foi aceito pelos clubes após a tensa Assembleia de Clubes que ocorreu no início deste mês. Durante a reunião, ficou acordado que Petrallás será supervisionado por um colegiado composto por representantes de cinco clubes.

Nas conversas com Petrallas, sempre disse para todos que está 'trocando o pneu com o carro andando', uma vez que perdeu semanas de mandato para se defender de acusações de irregularidades fiscais. Com seu nome aceito pelos clubes, ele pode agora focar urgentemente nos trabalhos da federação


Início dos campeonatos de base 

Entre as prioridades de Petrallás estava a continuidade dos campeonatos estaduais sub-13 e sub-20, cujo início foi adiado em uma semana devido às turbulências na federação. Com a situação regularizada, os campeonatos estão em andamento, preparando o terreno para o início do Sul-Mato-Grossense da Série B, previsto para agosto.

"A minha primeira missão é mudar de sede e ir para um local mais arejado e limpo. Estamos trabalhando na tramitação e vendo espaços para alugar. Se precisarmos de mudança, ir para outro espaço faz parte desse projeto”, relatou Petrallás, durante assembleia de clubes. 


A segunda missão de Petrallas à frente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul é a mudança do estatuto, o que promoverá mudanças radicais na política da federação nos próximos anos. 

“Não podemos esquecer que Cezário ainda é presidente, mas ninguém mais vai perpetuar a frente de poder. Os clubes estão de acordo e vamos mudar a reforma estatutária para que o presidente fique no máximo 4 anos à frente da federação, sem reeleição”, afirmou durante reuniões de clubes ao Correio do Estado. 

Operação Cartão Vermelho 

O ex-prefeito de Rio Negro e presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul, Francisco Cezário, é um dos pelo menos cinco presos na manhã desta terça-feira (21) durante a Operação Cartão Vermelho, que aponta o desvio de mais de R$ 6 milhões da Federação, somente entre 2018 e o ano passado. Na casa dele foram apreendidos mais de 800 mil reais. 

A justiça emitiu sete mandados de prisão e 14 de busca e apreensão e até o fim da manhã pelo menos cinco pessoas haviam sido presas e levadas à Cepol, delegacia do bairro Tiradentes. Francisco Cezário é advogado e por isso a detenção foi acompanhada por representantes da OAB. 

Policiais e promotores passaram a manhã inteira na sede da Federação de Futebol recolhendo documentos que podem dar mais embasamento às investigações feitas até agora, que se estenderam por um período de 20 meses, segundo nota do Gaeco. 

Ele está à frente da Federação faz cerca de três décadas e seu sétimo mandato está previsto para acabar em 2027. Em nota divulgada na manhã desta terça-feira pela assessoria do Ministério Público, ele e outros integrantes da Federação são acusados fazer mais de 1.2 mil saques, sempre de até R$ 5 mil, para tentar driblar uma possível investigação nas contas da Federação. 

Parte do dinheiro desviado, segundo acreditam os investigadores, era repassado pelo governo estadual, que somente no ano passado liberou R$ 1,35 milhão para os campeonatos estaduais da Séria A, Série B e para o futebol feminino. Em 2023, somente para o estadual da Série A, foram R$ 1,2 milhão. 

Além disso, a Federação também recebia repasses da CBF, cujos valores não aparecem na prestação anual de contas. Esta prestação de contas, por sua vez, mostrou que no ano passado a entidade fechou com prejuízo superior a R$ 218 mil. No ano anterior, em 2022, o rombo foi de R$ 492 mil. 

HISTÓRICO
Oficialmente, Cezário comandou a entidade futebolística pela primeira vez em 1987, 37 anos atrás. 

Neste período, ele ficou, em tese, fora do do comando da associação por quatro anos, entre 2001 a 2004, quando assumiu a prefeitura de Rio Negro, cidade distante 150 quilômetros de Campo Grande. Mesmo assim, controlava a Federação.

Cezário tentou reeleger-se prefeito, mas não conseguiu. Ele voltou para a FFMS e não saiu mais. Normalmente, ele concorre sozinho, sem adversários.

Votam nas eleições da FFMS dirigentes de associações (clubes profissionais), associações (clubes praticantes do futebol amador da capital e do interior) e ligas municipais amadoras. Em torno de 35 pessoas participam do pleito.

 Assine o Correio do Estado

Esportes

Fluminense demite Fernando Diniz sete meses após título da Libertadores

Marcão assume a equipe na partida de quinta-feira contra o Vitória

24/06/2024 14h00

Fernando Diniz é demtido do Fluminense

Fernando Diniz é demtido do Fluminense Reprodução/

Continue Lendo...

Fernando Diniz não é mais técnico do Fluminense. Após reunião nesta segunda-feira ficou definido o fim da segunda passagem dele pelo clube. Em nota, o tricolor pediu apoio da torcida.

Diniz não resistiu à derrota para o Flamengo no domingo. O clube está na lanterna do Campeonato Brasileiro e vem de péssimos resultados. O tricolor confirmou a queda em nota.

"O técnico Fernando Diniz deixou o comando do Fluminense FC nesta segunda-feira. Diniz deixa como legado desta sua passagem não somente alguns dos títulos mais importantes da história de nosso clube, conquistados em 2023 e 2024, mas também o legado de um trabalho muito bem-sucedido em sua primeira etapa de sua atual passagem, ensinamentos importantes sobre sua maneira de entender o futebol e uma visão humanística que no todo trazem enorme contribuição a este esporte", disse nota do Fluminense.

Marcão assume a equipe na partida de quinta-feira. O Flu encara o Vitória no Maracanã.
Na nota, o Fluminense pede apoio da torcida. "O Fluminense precisa de todo apoio do torcedor. Este é um momento que pede união de todos em torno do objetivo maior de retomarmos o caminho das vitórias."

O melhor momento de Diniz foi com o título da Libertadores em 2023. Ele voltou ao Flu em 2022. Nesse período, além do troféu continental, também ganhou o Carioca e a Recopa Sul-Americana.

Fernando Diniz vinha sendo alvo de críticas da torcida. O clube tentou segurar e demonstrar confiança, mas a fase pesou contra. Este é o pior início do clube no Brasileirão.
"Risco de demissão eu não tenho preocupação. Não sou eu que me demito e me contrato. Não vou ter medo de ser demitido. Nunca tive isso na carreira. Tenho muita coerência no meu trabalho, mesmo que pese que é um momento ruim do Fluminense. Estamos tentando de tudo, dentro das minhas possibilidades, para ajudar o time a melhorar e conquistar as vitórias", disse Fernando Diniz após a derrota para o Flamengo.

Após o clássico, Diniz disse ter respaldo da diretoria. No entanto, admitiu que isso não afasta risco de demissão.

*Informações da Folhapress


 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).