Esportes

Crise

Pedrinho afirma que o futebol do Vasco continua sob a responsabilidade da SAF

Justiça afastou a 777 do comando após investidor não apresentar garantias de aporte milionário ao clube

Continue lendo...

Presidente do Vasco da Gama, o ex-jogador Pedrinho afirmou nesta quinta-feira (16) que a decisão da Justiça de tirar o controle da SAF (Sociedade Anônima de Futebol) da empresa 777 Partners não faz com que o futebol do clube retorne às mãos do clube associativo.
"O futebol não vai voltar para o associativo. O futebol permanece e permanecerá com o Vasco SAF. Isso é definitivo. Não tem a menor hipótese de acontecer o contrário. A SAF continuará para sempre", afirmou Pedrinho durante conversa com jornalistas em São Januário.

Segundo o cartola, o que muda é que a SAF passa a ser gerida pelo clube, que detém 30% de participação na sociedade, e não mais pela 777, ao menos até que haja uma decisão definitiva da Justiça.

A liminar que afastou a 777 do comando da SAF vem após solicitação feita pelo clube de que o grupo econômico apresentasse uma garantia de um aporte de R$ 270 milhões previsto em contrato. A 777 se negou a apresentar as garantias, o que levou à ação do clube na Justiça.

"Nunca tive problema nenhum com relação a sociedade em si. O meu problema nunca foi e nunca será com a SAF. A SAF permanecerá. O meu problema era cumprimento de contrato. Era legitimidade financeira. Onde diversas vezes nós pedimos garantias financeiras", disse Pedrinho.

O ex-jogador revelado pelo clube e hoje dirigente acrescentou que todo o planejamento esportivo e financeiro do futebol continua com a SAF. "Seria muito fácil para mim lavar minhas mãos, ficar sentado na cadeira esperando o caos acontecer e depois de tudo falar para vocês que eu avisei", afirmou Pedrinho.

Ele disse ainda que a decisão de entrar na Justiça contra a 777 foi uma promessa de campanha, que era fiscalizar e cobrar o sócio majoritário da SAF do Vasco, detentor de 70% das ações da sociedade.

"A ação é exclusivamente de proteção à Vasco SAF. Justamente para não acontecer o que aconteceu hoje com o time belga", disse o presidente do clube, em referência à decisão da Justiça belga de bloquear nesta quinta-feira os ativos da 777 no país, onde a empresa comanda o clube Standard Liège.

"Eu sou vascaíno antes de ser presidente do Vasco. Que fique muito claro para alguns oportunistas. Eu sou vascaíno e todas as ações que estão sendo tomadas são por proteção a você, torcedor", afirmou o ex-jogador, com passagens por Palmeiras, Santos, Fluminense e seleção brasileira.

"A minha intenção sempre vai ser de fazer o melhor para o Vasco. Não pense que eu estou feliz de entrar na ação. E a culpa não é minha de ter que entrar na ação. Eu fiz isso por vocês [torcedores] E vou pagar o preço que eu estou pagando, até o fim. Mas eu fiz isso por vocês, com a melhor das intenções, para o Vasco e a SAF não quebrar."


 

Esportes

Futebol Solidário, com artistas e jogadores, termina empatado em 5 x 5

Renda da partida será destinada a instituições que ajudam as vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul

26/05/2024 18h26

Reprodução: Twitter

Continue Lendo...

Ludmilla marcou o primeiro gol da partida deste domingo (26) no Maracanã. O Futebol Solidário, um amistoso que reuniu artistas e estrelas do futebol em apoio às vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul, terminou em empate, com cada time marcando 5 gols.

A renda dos 53 mil ingressos vendidos foi destinada à Cufa, Central Única das Favelas, que irá distribuir os fundos entre as instituições que estão auxiliando as vítimas das chuvas.

Os gols do time União foram marcados por Ludmilla, Adriano, Diego Ribas e dois de Ronaldinho Gaúcho. Enquanto isso, o time Esperança teve gols de Nenê, D'Alessandro, MC Poze, Amaral e Cafu.

Além dos jogadores mencionados, participaram da partida MC Daniel, Gabriel O Pensador, Jackson Five (Marco Luque), Filipe Ret, Denilson, Roger, Belo, Xamã, Vampeta, Fernando Prass, Lucy Ramos, e outras personalidades do mundo do futebol e das artes.

A narração da partida ficou a cargo de Luis Roberto, com comentários de Luciano Huck, Dona Déa e Diogo Defante.

Com informações de Folha Press

FUTEBOL

Presidente da CBF confirma que irá manter calendário do Brasileirão até dezembro

Ednaldo Rodrigues adianta posição antes de reunião com clubes da Série A, afirmando que propostas serão discutidas para evitar extensão do torneio após suspensão devido às enchentes no Rio Grande do Sul

26/05/2024 18h00

Presidente da CBF confirma que irá manter calendário do Brasileirão até dezembro

Presidente da CBF confirma que irá manter calendário do Brasileirão até dezembro Divulgação

Continue Lendo...

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues, afirmou neste domingo que não planeja estender o calendário do Brasileirão deste ano, após a suspensão do campeonato por duas rodadas. A intenção do dirigente é manter a finalização da competição no dia 8 de dezembro, conforme programado inicialmente.

"A proposta da CBF é exatamente manter o calendário de 2024 até o dia 8 de dezembro. Vamos dialogar com todos os clubes. A CBF apresentará várias soluções para que a competição possa ser concluída conforme o planejado no calendário de 2024", declarou em entrevista ao canal SporTV.

Com essa declaração, Ednaldo antecipa sua posição antes da reunião entre a CBF e os clubes da primeira divisão, agendada para esta segunda-feira. Durante o encontro, a entidade e as equipes decidirão como reorganizar o Brasileirão após o atraso de duas rodadas - a competição foi suspensa em 15 de maio devido às enchentes no Rio Grande do Sul.

"Teremos uma reunião amanhã (segunda) com todos os clubes da Série A, em um Conselho Técnico Extraordinário, para buscar a melhor solução. Queremos evitar uma extensão além do calendário. A proposta da CBF é conciliar de forma a não causar consequências para os envolvidos: clubes, patrocinadores, atletas, evitando prolongar o período de férias e sem impactar o calendário de 2025", explicou o presidente da CBF.

Sem entrar em detalhes, Ednaldo afirmou que a entidade irá "propor soluções" para repor as datas perdidas em um calendário já apertado. Questionado sobre a possibilidade de aumentar o número de jogos durante a Copa América, o dirigente preferiu não adiantar informações.

"A CBF apresentará soluções. Sabemos que é um momento desafiador e que cada um precisa contribuir, ter flexibilidade para conciliar. A CBF buscará a melhor alternativa para evitar uma extensão excessiva. A diretoria de competições e a presidência estarão à disposição para buscar a melhor forma de acordo com os clubes para essas reposições de jogos."

O principal receio dos times atualmente é que a CBF inclua mais partidas durante a realização da Copa América, que acontecerá entre 21 de junho e 15 de julho.

A entidade já havia decidido anteriormente que não pararia o Brasileirão durante a competição de seleções, o que gerou desconforto nos clubes por perderem jogadores convocados para a seleção brasileira e para outras equipes sul-americanas.

Agora, há o risco de aumentar o número de jogos nos quais os times não terão alguns de seus principais atletas.

O Brasileirão foi suspenso pela CBF na metade de maio, por duas rodadas, devido às dificuldades enfrentadas pelos clubes gaúchos em meio à tragédia no Rio Grande do Sul.

Grêmio e Internacional tiveram estádios e centros de treinamento inundados, impossibilitando treinos ou jogos em Porto Alegre. Além disso, os jogadores se envolveram nas operações de socorro às pessoas afetadas pelas enchentes.

O Juventude, também presente na Série A, não sofreu danos por inundação, mas enfrenta dificuldades logísticas para viajar pelo Brasil porque o Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, foi inundado e fechado, com previsão de reabertura apenas no segundo semestre.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).