Esportes

Copa América

A+ A-

Peru bate Venezuela e termina em 3º

Peru bate Venezuela e termina em 3º

Continue lendo...

Em uma Copa América repleta de surpresas e equilíbrio, Peru assegurou no final da tarde deste sábado a terceira colocação do torneio. Abusando dos rápidos contra-ataques e de uma postura cautelosa, a equipe comandada pelo técnico Sergio Markarián derrotou a Venezuela pelo placar de 4 a 1 e se confirmou como a principal surpres da competição. William Chiroque e José Paolo Guerrero, três vezes, asseguraram o triunfo. Juan Arango, por outro lado, descontou para a Venezuela.

E o grande destaque da partida realizada em La Plata acabou sendo o atacante do Hamburgo. Com os três gols assinalados diante da Venezuela, Guerrero chegou aos cinco na competição e se isolou na artilharia da competição. O peruano só não terminará na artilharia caso o uruguaio Luís Suárez anote três tentos na decisão da Copa América, que será disputada neste domingo, contra o Paraguai, no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires.

Empolgada pela boa surpreendente campanha na Copa América, a Venezuela dominou a maior parte da primeira etapa. Com uma formação bem modificada em relação ao duelo contra o Paraguai, pela semifinal, o time vinho tinto criou as melhores oportunidades, mas, novamente, apresentou problemas de finalização. Tal falha beneficiou o Peru, que, em contra-ataque aos 41min, abriu o marcador com o atacante William Chiroque.

Na segunda etapa, a Venezuela, porém, se complicou pelo próprio comportamento. Com a expulsão de Rincón, um dos destaques do país no torneio, o time vinho tinto não conseguiu segurar os rápidos contra-ataques peruanos. Sem uma marcação mais colada, o centroavante José Paolo Guerrero brilhou, anotando três gols e sacramentando o time de Sergio Markarián como a principal surpresa da Copa América de 2011, que viu as derrocadas das potências Brasil e Argentina ainda nas quartas de final. Juan Arango, por outro lado, ainda diminuiu para os venezuelanos

Sem o estigma de "saco de pancadas" por conta da ótima participação na Copa América, a Venezuela volta a campo no próximo dia 9, quando terá pela frente o amistoso contra o Irã, fora de casa. Também longe dos seus domínios e na mesma data, o Peru, outra surpresa do torneio sul-americano ao cair apenas nas semifinais para o favorito Uruguai, enfrentará Honduras.

O jogo

Principal surpresa da Copa América, a Venezuela entrou muito modificada para a disputa da medalha de bronze. Sempre polêmico, tanto em suas decisões quanto declarações, o técnico César Farías alterou seis jogadores em relação à derrota nos pênaltis para o Paraguai, na semifinal. Nomes como o experiente meia Juan Arango e o atacante Salomón Rondón acabaram preteridos para o compromisso deste sábado, em La Plata.

Mesmo com uma base completamente diferente, o time vinho tinto criou a primeira oportunidade para abrir o marcador. Logo aos 2min, Giancarlo Maldonado, um dos atletas a ganhar uma vaga para o duelo deste final de semana, recebeu pela ponta direita, cortou para o meio da área e soltou um forte chute. Para sorte do goleiro Fernández Valverde, a bola passou perto do travessão.

Diante do Peru, a Venezuela apresentou uma formação mais ousada e rápida, especialmente por conta das presenças do meia Yohandry Orozco na criação e da jovem revelação Miku Fedor. Com um maior volume de jogo, a equipe de César Farías voltou a ameaçar os peruanos aos 13min, quando Orozco levantou para a área e assustou o goleiro adversário.

O ritmo apresentado pela Venezuela era parecido com o do apresentado pela equipe na prorrogação diante do Paraguai. Melhor em campo e dominando o confronto, o time vinho criou, no entanto, a principal oportunidade aos 23min, e novamente com Orozco. O camisa 10 venezuelano tabelou com Maldonado e, à frente da meta adversária, chutou por cima.

De tanto ameaçar o Peru, a Venezuela conseguiu balançar as redes aos 30min; contudo, teve o tento anular. Maldonado recebeu perto da entrada da área e tocou para Miku Fedor mais ao centro. O camisa 7 devolveu a bola na direção do centroavante, mas Orozco foi quem recebeu e tocou para Maldonado tocar para o gol. O árbitro anulou a jogada, alegando impedimento do homem de referência venezuelano.

As seguintes oportunidades desperdiçadas e o gol anulado acabaram minando aos poucos o ritmo da Venezuela no jogo, e a queda na ofensividade foi fatal na reta final da primeira etapa. Aos 41min, William Chiroque puxou contra-ataque e abriu boa bola para Paolo Guerrero, que devolveu na medida para o camisa 18 abrir o marcador em La Plata.

Melhor durante a primeira etapa, mas atrás no marcador, a Venezuela retornou dos vestiários pressionando a defesa peruana. Logo aos 2min, Fedor recebeu perto da pequena área, passou por dois marcadores com um drible veloz e chutou rente à trave direita peruana.

Todas chances, o bom toque de bola e o volume de jogo venezuelano, no entanto, acabaram prejudicados por conta do volante Tomás Rincón. Um dos destaques da equipe na competição - sendo até apontado pelo técnico César Farías como o melhor jogador da Copa América -, o meio-campista aplicou uma tesoura em um adversário e recebeu o cartão vermelho.

Com um a menos no setor de marcação, a equipe não conseguiu suportar os ótimos contra-ataques peruanos. Aos 19min, Guerrero puxou contra-ataque e lançou Chiroque na ponta direita. Consciente, o camisa 18 devolveu para o centroavante, que arrematou forte, sem chances para Vega.

A ótima vantagem diminuiu o ritmo peruano até o final do jogo. Sem investir nos rápidos contra-ataques, postura que adotou durante todo o confronto, o time de Sergio Markarián recuou, e sofreu a consequência por essa postura. Com 32min, Orozco descolou um lindo passe para Arango, que invadiu a área e diminuiu para a Venezuela.
Gol que, entretanto, não mudou a situação do duelo. Nos acréscimos, em outro contra-ataque, Guerrero deu um lindo drible em Vizcarrondo e assinalou o terceiro gol peruano na partida.

No último lance, o camisa 9 ainda transformou o triunfo em goleada. Foi o quinto gol do atacante do Hamburgo na Copa América, número que faz ultrapassar Luís Suárez, do Uruguai, e Sergio Agüero, da Argentina, na artilharia do torneio

Vôlei de praia

Atletas de MS apostam no fator casa para ter bom resultado

Saymon é um dos favoritos da etapa de Campo Grande do Circuito Nacional

21/02/2024 10h30

Saymon treina em academia da Capital para atual etapa do circuito GERSON OLIVEIRA

Continue Lendo...

Jogar diante de familiares e amigos não deve ser fácil, mas Saymon e seu parceiro Cadu trabalham o lado emocional para conseguir alcançar seus objetivos na etapa de Campo Grande do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. 

Jogando em casa e perto da família em Mato Grosso do Sul, Saymon espera se dar bem na Capital. A etapa de Campo Grande começa hoje e vai até domingo, com os melhores competidores do País em terras sul-mato-grossenses.

Com expectativa em alta para a estreia na competição, os campo-grandenses Saymon e Cadu vêm trabalhando bastante o lado emocional para que a ansiedade não jogue contra a dupla.

“Representar o nosso estado jogando em Mato Grosso do Sul, e mostrando isso para o País, já dá aquele frio na barriga. Entrar em quadra e jogar diante da minha família e da minha filha de 8 meses será como uma final de campeonato para nós”, relatou Saymon Barbosa, o experiente atleta que já foi campeão mundial militar em 2017.

O bloqueador de 2,02 metros de altura é experiente, já conquistou diversos títulos brasileiros e quer ir bem no Circuito Nacional, em busca de pontuação para a Copa do Mundo, mas sabe que jogar no quintal de casa será um dos maiores desafios de sua carreira. 

“Estou agora com um novo parceiro, que é o Cadu. Estamos diariamente conversando, na tentativa de controlar as emoções. Ele, por ser mais novo, vai sentir bastante, mas estamos fazendo um trabalho mental para que a gente consiga conquistar o nosso objetivo, que é chegar em uma semifinal”, detalhou. 
Outro sul-mato-grossense que também está ansioso para competir em Campo Grande diante de amigos e familiares é o ponteiro Arthur, que faz dupla com Adrielson.

Ao Correio do Estado, Arthur relatou que essa etapa nacional é especial para sua carreira. “Representar Mato Grosso do Sul em casa é algo especial. Na temporada passada, fui campeão do circuito, mas jogar na minha cidade será algo diferente e, nesse caso, preciso controlar a ansiedade para que consiga buscar os objetivos no campeonato”, disse. 

Apesar de ser início de temporada, Arthur e seu parceiro Adrielson têm treinado bastante em busca de um bom desempenho jogando em terras sul-mato-grossenses. 

“Ter a torcida jogando a favor é um combustível a mais e ajuda bastante até na concentração. A minha família estará me acompanhando, e, por isso, controlar as emoções é um fator principal para que a gente consiga chegar até as fases finais da competição”.

Etapa

A 1ª etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia começa hoje, em um espaço montado no Parque das Nações Indígenas que pode ser acessado pela entrada Terena. A entrada para acompanhar os jogos será gratuita e poderá ser garantida no site.

De acordo com a programação, a qualificação do aberto começa às 8h e vai até as 18h. Amanhã ocorrerão a fase de grupos e as oitavas de final.

Diferentemente dos últimos anos, a principal competição nacional, que antes era realizada com as 12 melhores duplas do País, agora recebe as 16 melhores duplas.

Para o evento ser realizado, o governo do Estado firmou um convênio de R$ 488 mil para a etapa de Campo Grande. O repasse foi superior em R$ 49 mil ao cedido para a disputa do Circuito Brasileiro do ano passado, quando o convênio foi no valor de R$ 449 mil.

Calendário do Circuito Nacional de Vôlei de Praia 

1ª etapa – Campo Grande, de 21 a 25 de fevereiro;
2ª etapa – Recife (PE), de 13 a 17 de março;
3ª etapa – Saquarema (RJ), de 3 a 7 de abril;
4ª etapa – Natal (RN), de 24 a 28 de abril;
5ª etapa – a definir, de 19 a 23 de julho;
6ª etapa – a definir, de 11 a 15 de setembro;
7ª etapa – João Pessoa (PB), de 9 a 13 de outubro;
8ª etapa – a definir, de 30 de outubro a 3 de novembro;
9ª etapa – a definir, de 20 a 24 de novembro.

Esportes

Mundial de Beach Soccer: Brasil fecha 1ª fase com aproveitamento 100%

Seleção brasileira enfrenta o Japão pelas quartas da competição

20/02/2024 23h00

Aitor Alcalde/FIFA

Continue Lendo...

Graças a um gol de Edson Hulk no final da prorrogação, o Brasil derrotou o México por 4 a 3, na tarde desta terça-feira (20) em Dubai (Emirados Árabes), e fechou a fase de grupos da Copa do Mundo de Beach Soccer com 100% de aproveitamento. Assim a seleção brasileira garantiu a liderança do Grupo D.

Os gols da seleção brasileira foram marcados por Mauricinho, Alisson e Edson Hulk (dois, o segundo deles no último lance da partida). Já a equipe mexicana descontou com Castillo, Wbias e Maldonado.

“Uma vitória suada. Primeiro parabenizar a equipe do México, que foi aguerrida do começo ao fim. Graças a Deus conseguimos a classificação, que era o objetivo principal, e agora é focar na próxima fase. Vamos para o mata-mata, no qual quem perder vai para casa. Acredito que esse grupo vem evoluindo dia após dia, jogo após jogo. Temos muito a melhorar para que nas quartas de final a façamos nosso melhor jogo”, declarou o ala Filipe Silva.

Na próxima etapa da competição a seleção brasileira medirá forças com o Japão, segundo colocado do Grupo C. A partida será realizada a partir das 8h30h (horário de Brasília) da próxima quinta-feira (22).

Assine o Correio do Estado.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).