Esportes

Libertadores

Prass aponta Palmeiras como um dos mais fortes na Libertadores

Prass aponta Palmeiras como um dos mais fortes na Libertadores

GAZETA ESPORTIVA

06/01/2016 - 12h07
Continue lendo...

Herói do tricampeonato do Palmeiras na Copa do Brasil, Fernando Prass está seduzido com a possibilidade de participar da Copa Libertadores na próxima temporada. Para o experiente camisa 1 do Palmeiras, o elenco, que se reapresenta das férias nesta quarta-feira, entra no torneio continental como candidato a terminar com a taça.

“Vamos ser um dos times com fortes possibilidades de brigar pelo título”, avisou Prass, confiante. O goleiro e Cleiton Xavier são os únicos atletas do atual elenco que já disputaram a Copa Libertadores pelo Palmeiras – o goleiro alcançou as oitavas de final em 2013 o meia foi às quartas em 2009.

“O projeto do ano que vem estava muito vinculado à Libertadores. Além do título (da Copa do Brasil), também tem a situação desse projeto. Nos tira um peso das costas”, pontuou Prass, responsável por converter o pênalti que garantiu o tricampeonato da Copa do Brasil e a vaga na Libertadores.

Seriamente ameaçado pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro 2014, o Palmeiras, conduzido pelo diretor de futebol Alexandre Mattos, contratou 25 reforços nesta temporada. Para 2016, o goleiro Fernando Prass projeta uma política diferente na montagem do elenco.

“Sempre tem readequações, sai jogador, vem jogador. Vai ser um salto natural de um grupo amadurecendo, se conhecendo. Foi um elenco que sofreu muito por ‘n’ problemas, também troca de treinador. É um salto natural de qualidade, manutenção do treinador e de quase todo o grupo”, afirmou.

Até o momento, o Palmeiras já anunciou quatro contratações de forma oficial para compor seu elenco. O goleiro Vagner assinou contrato até dezembro de 2019, o zagueiro Edu Dracena acertou vínculo até o fim de 2017, o zagueiro Roger Carvalho e o meia Régis chegam ao Palestra Itália por empréstimo de um ano, o volante Rodrigo e o meia Moisés assinaram por duas temporadas e o atacante Erik firmou vínculo até o final de 2020.

O sorteio das chaves da próxima edição da Copa Libertadores foi realizado na noite da última terça-feira, na localidade paraguaia de Luque. O Palmeiras ficou no Grupo 2 ao lado do uruguaio Nacional, do argentino Rosario Central e do vencedor do duelo entre o Universidad de Chile e o uruguaio River Plate.

O time palestrino é um dos brasileiros com mais tradição na disputa do torneio continental. Campeão ao derrotar o Deportivo Cali na edição de 1999, o Palmeiras ficou com o vice-campeonato nas temporadas de 1961, 1968 e 2000 contra Peñarol, Estudiantes e Boca Juniors, respectivamente.

Esportes

Condenação por ataques racistas de Vini Jr vai mudar o futebol, dizem especialistas

Torcedores que atacaram brasileiro com cantos racistas são condenados a oito meses de prisão

10/06/2024 23h00

Emissora espanhola Gol flagra insultos racistas de torcida do Mallorca contra Vini Jr Vinicius Junior em partida contra o Real Madrid

Emissora espanhola Gol flagra insultos racistas de torcida do Mallorca contra Vini Jr Vinicius Junior em partida contra o Real Madrid Foto: Reprodução/Gol

Continue Lendo...

Uma vitória fora dos campos merece destaque entre os feitos colecionados neste ano pelo jogador Vinicius Junior. Pela primeira vez na história do futebol espanhol infâmias racistas receberam condenação na Justiça. Os agressores são três torcedores que, no dia 21 de maio do ano passado, ofenderam o craque do Real Madrid durante um jogo no Estádio Mestalla, na cidade de Valência. Eles foram condenados a oito meses de prisão e banidos do futebol por dois anos.

"Essa primeira condenação por racismo no âmbito esportivo é uma vitória para o futebol e para toda a sociedade espanhola", diz o advogado Juan José Ríos Zaldívar, responsável pela área processual da auditoria Grant Thornton na Espanha e palestrante em cursos de Direito aplicado ao futebol. "É um fato histórico, que divide o esporte entre um antes e um depois", afirma Esteban Ibarra, presidente do Movimento contra a Intolerância - ONG madrilena que acompanha de perto a carreira do jogador.

O caminho para chegar à condenação foi longo. Tudo começou quando, provocada pelas denúncias de Vinicius Junior, a entidade que coordena os campeonatos de futebol na Espanha - La Liga - começou a levar casos de racismo ao Ministério Público do país. As denúncias vinham chegando à Justiça desde 2021, mas não prosperavam.

"Existem duas dificuldades básicas para que se condene um torcedor racista na Espanha", diz o advogado Ríos Zaldívar. "A primeira é identificar os autores da ofensa. A segunda é determinar que houve motivação racista. Muitos juízes consideram as ofensas consequência da emoção provocada por uma partida de futebol."

Na Espanha, ao contrário do Brasil, não existe uma lei específica contra o racismo. Os três torcedores do foram condenados com base no artigo 510 do Código Penal. "Ele pune ataques contra a dignidade de uma pessoa por razões de raça, gênero, religião, orientação sexual, doença e condição social, entre outras coisas", diz o advogado Ríos Zaldívar. Os autores reconheceram o crime e pediram desculpas ao jogador e ao clube, o que serviu como atenuante. Não há como avaliar se a pena foi branda por se tratar de punição inédita no contexto espanhol.

Um caso famoso envolveu Nico Williams, jogador negro do Athletic Bilbao. Um vídeo em que um torcedor dirige a ele ofensas racistas foi postado no Instagram e levado à Justiça pela La Liga. Os auxiliares do juiz, no entanto, vasculharam as redes sociais do agressor e consideraram que "não parece uma pessoa que pretenda incitar o racismo, nem que os gestos realizados pretendem atacar tal fim". O processo foi arquivado.

O caso de Nico Williams foi um dos 37 levados por La Liga ao Ministério Público espanhol. Mais da metade dos casos -20- envolvem Vinicius Junior, de longe a maior vítima de agressões racistas na Espanha. Ou melhor, como ele próprio postou nas redes sociais após a condenação dos três torcedores de Valência: "Não sou vítima de racismo. Eu sou algoz de racistas".

Para que o caso tivesse o desfecho esperado, La Liga arcou com os custos processuais desde o início. O Real Madrid ajudou num segundo momento -a princípio, o clube espanhol via com desconfiança a militância antirracista do craque, temendo que desviasse seu foco do futebol. Na postagem que fez nas redes, Vinicius Junior agradeceu a ambos, ao clube e à liga.

No meio do futebol -ao contrário do que acontece no basquetebol ou na música pop- são raros os astros que abraçam causas. Vinicius Junior é uma exceção. Seu staff trabalha em parceria com a empresa Roc Nation, do rapper Jay-Z. A Roc Nation foi a responsável por aumentar o número de artistas negros no show de encerramento do Super Bowl, principal evento no calendário do futebol americano. Vinicius Junior já postou em suas redes fotos com Jay-Z e sua mulher, a cantora Beyoncé.

Alguns dos ídolos de Vinicius Junior estão fora do mundo do futebol. Um deles é o jogador de basquete LeBron James, voz firme contra o assassinato de George Floyd por um policial de Mineápolis. Outro é Jackie Robinson, o primeiro jogador negro a disputar a liga principal de beisebol nos Estados Unidos.

O combate ao racismo será um dos temas da série sobre Vinicius Junior que deverá estrear no ano que vem na Netflix. Em fevereiro deste ano, a equipe de gravação tentou registrar cenas de um jogo do Real Madrid no Mestalla, que marcaria a volta do brasileiro ao estádio onde sofreu a agressão que resultaria na condenação de ontem. A direção do Valencia proibiu o registro das imagens.

O documentário deverá mostrar os melhores lances da Liga dos Campeões de 2024, em que Vinicius Junior fez um gol na final e recebeu o troféu de melhor jogador do torneio. O drible acrobático que deu no zagueiro Julian Ryerson, na final contra o Borussia Dortmund, deixou seus colegas de time literalmente boquiabertos e viralizou nas redes sociais.

Quais serão as consequências práticas da condenação dos torcedores racistas? "O caso ainda não irá gerar jurisprudência, pois na Espanha isso só acontece quando há um referendo por parte da Suprema Corte", diz o advogado Ríos Zaldívar. "A decisão, no entanto, será citada em outros processos de racismo, e servirá de exemplo para casos semelhantes, especialmente para jogadores mais jovens e menos famosos que Vinicius Junior."

 

*Informações da Folhapress 

Crise na federação

Petrallás será julgado pelo TJD nesta terça-feira e poderá ser tornar inelegível por 10 anos

Denúncia realizada pelo presidente do E.C Comercial, alega que o atual gestor interino da FFMS não prestou contas entre os anos de 2016 a 2018 e estaria ilegal na entidade.

10/06/2024 15h47

Presidente interino da FFMS, Estevão Petrallas será julgado pelo TJD e poderá ficar inelegível por 10 anos.

Presidente interino da FFMS, Estevão Petrallas será julgado pelo TJD e poderá ficar inelegível por 10 anos. Fotos: Gerson Oliveira

Continue Lendo...

Nesta terça-feira (11), o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-MS), Patrick Hernandes, agendou para às 18h, na Câmara Municipal de Campo Grande, o julgamento no órgão pleno de Estevão Petrallás. O atual gestor interino da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), foi denunciado pelo presidente do Esporte Clube Comercial, Cláudio Barbosa, por irregularidades fiscais em sua gestão na Liga de Futebol, nos anos de 2016 a 2018. Caso seja julgado, Petrallás poderá ficar inelegível por 10 anos

Conforme os documentos entregues à Procuradoria Geral, Adilson Viegas, o relatório informa que Estevão Petrallás estaria irregular como gestor interino por estar inadimplente na prestação de contas em 2016, quando presidiu a Liga de Futebol Profissional de Mato Grosso do Sul. Na época, ele solicitou um convênio para a participação do Operário no Campeonato Sul-Mato-Grossense.

Esses convênios foram solicitados diretamente à Fundesporte, sendo o dinheiro proveniente do FIE/MS (Fundo de Investimentos Esportivos), totalizando R$ 51.590. O restante dos valores destinava-se ao custeio de material esportivo, hospedagem, alimentação, transporte e transmissão dos jogos.

A dívida na época não foi paga e está em R$131.500,00, valor atualizado em 24 de janeiro do ano passado. O prazo para pagamento voluntário era até 22 de julho de 2022.

Os documentos foram enviados ao TJD e o procurador Adilson Viegas, que declarou procedente a  análise e afirmou que Petrallas estaria irregular na função de presidente interino da FFMS.

A sessão de julgamento será realizada de forma híbrida no Plenário Edroim, na Câmara Municipal de Campo Grande. 

De acordo com a pauta do dia pelo TJD, três processos envolvendo clubes que disputam o Campeonato Sul-Mato-Grossense sub-13 serão julgados, antes de Petrallás.  

 Denúncia

Conforme divulgado pelo Correio do Estado na tarde de ontem, o Procurador Geral, Adilson Viegas, aceitou as denúncias do presidente do Comercial, Cláudio Barbosa, e aprovou como procedentes os relatórios que demonstram crimes de responsabilidade fiscal, cometidos pelo gestor interino da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS).  

Segundo a denúncia apresentada, Petrallas estaria inelegível a partir de 2016 para ocupar tal cargo, nos termos dos artigos 65 da Lei nº 14.597/2023 e 53 do estatuto da FFMS.

O motivo das alegações seria o ato de inadimplência na prestação de contas e no uso de recursos recebidos de órgãos públicos enquanto presidia a Liga Regional de Futebol em 2016.

Após serem analisados, o Tribunal de Justiça Desportiva afirmou que Estevão Petrallas está inelegível e enviou os documentos à Confederação Brasileira de Futebol. O caso será encaminhado para julgamento, o qual deverá ocorrer na próxima semana. 


Assembleia 

Após três horas de discussões, os clubes acataram a decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e aceitaram manter o nome de Estevão Petrallas como gestor interino da Federação de Mato Grosso do Sul (FFMS) pelos próximos 90 dias. Isso pode mudar caso o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) aprove as condenações do presidente do Comercial, Cláudio Barbosa, em julgamento marcado para a próxima semana em Campo Grande.

Por 20 votos a três, os clubes que são filiados a Federação de Mato Grosso do Sul (FFMS) aceitaram o nome de Estevão Petrallás à frente da entidade, na tentativa de evitar conflitos com Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e também dando oportunidade para dialogar com o atual gestor interino da federação. 

 

Assine o Correio do Estado  

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).