Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASILEIRÃO

Na estreia de Cuca, Santos vacila no fim e cede empate ao Red Bull Bragantino

Estreia das equipes no Campeonato Brasileiro terminou com placar de 1 a 1
09/08/2020 18:30 - Estadão Conteúdo


O Santos esteve bem perto de estrear com vitória no Campeonato Brasileiro e proporcionar um ambiente mais tranquilo ao técnico Cuca em sua primeira semana efetiva de trabalho neste retorno ao clube. 

Mas a fase é mesmo complicada. Com um gol sofrido nos acréscimos, o time alvinegro acabou cedendo o empate em 1 a 1 ao Red Bull Bragantino, neste domingo, na Vila Belmiro

Marinho abriu o placar para o Santos já no segundo tempo, e Claudinho igualou para o Bragantino aos 47 minutos da etapa final. 

Resultado muito comemorado pelo time do técnico Felipe Conceição, na reestreia do clube na primeira divisão depois de 22 anos (a última participação na elite nacional havia acontecido em 1998).

O Santos volta a campo contra o Internacional, às 19h30 de quinta-feira, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). 

Já o compromisso do Bragantino pela segunda rodada será na quarta-feira, às 19h15, diante do Botafogo, no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista.

O JOGO - O primeiro tempo foi de equilíbrio na posse de bola, com o Bragantino começando melhor e o Santos se impondo na parte final. 

O time visitante terminou mais pressionado, mas conseguiu finalizar mais vezes na direção da meta adversária: quatro, contra duas dos mandantes.

O Bragantino assustou logo no primeiro minuto de partida. Aderlan cruzou da direita para Alerrandro arrematar de primeira, mas Vladimir estava atento e fez uma grande defesa. 

Pouco depois, o goleiro foi novamente acionado em chute longo de Weverson.

O Santos equilibrou o confronto aos poucos, apostando principalmente na velocidade de Soteldo. 

O venezuelano levava vantagem na maioria dos confrontos individuais e dava muito trabalho nas descidas pelo flanco esquerdo.

Curiosamente, porém, a melhor chance santista no primeiro tempo surgiu pela direita. 

Aos 15 minutos, Kaio Jorge roubou a bola na desatenção de Fabrício Bruno e foi derrubado pelo zagueiro na área. 

Carlos Sánchez assumiu a cobrança da penalidade e chutou para fora, à direita do goleiro Cleiton.

Após o intervalo, Vladimir precisou intervir novamente no primeiro minuto para evitar que o Bragantino abrisse o placar, em chute de Artur.

Do outro lado, Cleiton não teve a mesma eficiência. 

O goleiro já havia participado com segurança em lances anteriores, mas acabou surpreendido por um chute longo de Marinho, que praticamente não vinha aparecendo no jogo. 

A bola quicou dentro da área e foi morrer no fundo das redes, aos 19 minutos.

Alerrandro já havia acertado a trave aos 27 minutos, após desvio na ponta dos dedos do goleiro Vladimir, quando o Bragantino passou a crescer no confronto.

A insistência foi premiada no fim. Aos 47 minutos, após cobrança de escanteio, Claudinho pegou o rebote na entrada da área e chutou de primeira para empatar.

O lance gerou muita reclamação do Santos, pois o técnico Cuca havia tentado realizar uma substituição antes da cobrança, mas a arbitragem não autorizou a troca de jogadores.

 
 

Ficha técnica

SANTOS 1 x 1 RED BULL BRAGANTINO

SANTOS - Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Soteldo, Marinho (Jean Mota) e Kaio Jorge (Uribe). Técnico: Cuca.

RED BULL BRAGANTINO - Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Weverson (Robinho), Ricardo Ryller (Claudinho) e Matheus Jesus; Morato (Bruno Tubarão), Artur e Alerrandro (Ytalo). Técnico: Felipe Conceição.

GOLS - Marinho, aos 19, e Claudinho, aos 47 minutos do segundo tempo

CARTÕES AMARELOS - Ricardo Ryller.

ÁRBITRO - Ricardo Marques Ribeiro (MG).

RENDA E PÚBLICO - Jogo sem torcida.

LOCAL - Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP).

 

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.