Esportes

SEM MUDANÇAS

Técnicos adotam cautela para amistosos

Técnicos adotam cautela para amistosos

ESTADÃO

08/02/2011 - 00h00
Continue lendo...

Poucos jogadores terão oportunidade de estrear ou voltar a jogar por suas seleções nos amistosos internacionais desta semana, uma vez que a maioria dos treinadores decidiu usar as partidas para consolidar seus times em vez de experimentar mudanças.

Esse foi o motivo dado pelo técnico francês, Laurent Blanc, para não convocar o ex-capitão Patrice Evra para o jogo em Paris contra o Brasil, apesar do fim de uma suspensão de cinco jogos imposta ao jogador pela federação francesa por sua participação nos protestos de jogadores na Copa do Mundo da África do Sul.

Blanc garantiu que a decisão de omitir o jogador do Manchester United teve como base apenas "critérios esportivos", principalmente pelo bom nível de Eric Abidal nos últimos jogos da França.

"Não ajuda em nada pensar no passado. Vamos tentar virar a página", disse Blanc a jornalistas, confirmando que não deseja mudar a equipe antes da retomada das eliminatórias da Eurocopa de 2012, em março.

Sem grandes jogos entre seleções desde novembro, os treinadores querem que suas equipes já escolhidas retomem o ritmo sem qualquer distração. No Brasil, a única mudança deve ser a volta do goleiro Julio César, recuperado de lesão, para seu primeiro jogo desde o Mundial do ano passado.

O treinador da Alemanha, Joachim Loew, cuja equipe lidera seu grupo nas eliminatórias da Euro assim como a França, optou por não convocar o capitão Michael Ballack para o jogo contra a Itália, apesar de o meia de 34 anos estar totalmente em forma após uma contusão.

Muitos alemães acreditam que a entrada de Ballack, que não jogou a Copa da África do Sul devido a outra lesão, poderia prejudicar a boa fase do time, que terminou o Mundial em 3o.

A campeã mundial Espanha será mais um time sem surpresas no jogo contra a Colômbia em Madri, enquanto a renovada seleção portuguesa do técnico Paulo Bento também praticamente não terá mudanças para o amistoso contra a Argentina --a única exceção é a volta de Ricardo Quaresma.

"Estamos buscando uma estabilidade. Queremos dar uma identidade ao time, e isso vêm com uma estabilidade em nossas escalações", disse Bento a jornalistas.

O excesso de jogadores convocados pela primeira vez para jogar amistosos tem afetado principalmente a Inglaterra nos últimos anos, mas Fabio Capello foi mais moderado para a partida contra a Dinamarca. A única novidade ficou por conta da inesperada convocação de Kyle Walker.

Série D

De virada, Costa Rica vence o Água Santa e entra na zona de classificação

A partida aconteceu na noite de ontem (12) no estádio Laertão, em Costa Rica. Com a vitória, a Cobra do Norte sobe para a 3ª colocação no grupo A7.

13/06/2024 12h02

Reprodução/ TV CREC

Continue Lendo...

Na noite de ontem (12), no estádio Laertão, o Costa Rica venceu o Água Santa (SP) de virada por 2 a 1 e subiu para a terceira colocação do grupo A7 pela 8ª rodada do Brasileirão da Série D.

Após a derrota em Diadema, a equipe paulista veio para o Mato Grosso do Sul com um time modificado e também estreando um novo técnico, Guilherme Alves. O antigo comandante foi dispensado depois da vitória do CREC por 2 a 0 em Diadema (SP) no último final de semana.

Por isso, o Água Santa iniciou a partida indo para cima e conseguiu o primeiro gol da partida, aconteceu aos 4 minutos do segundo tempo, com Luquinhas. Porém, aos 34 minutos, o Costa Rica empatou a partida, com Roberto Baggio. 

A virada veio apenas no finalzinho da segunda etapa, com Joshua marcando aos 48 minutos do segundo tempo.

Após o apito final, a torcida comemorou junto com os atletas em campo o resultado positivo. Com a vitória de virada, o Costa Rica saltou para a terceira colocação do grupo A7, somando 11 pontos. O Água Santa saiu da zona de classificação e caiu para a quinta colocação, com 9 pontos.

O próximo confronto do Costa Rica será contra o Santo André, neste domingo (16), no Estádio Bruno José Daniel. Uma vitória será importante na busca pela classificação para as oitavas de final do Campeonato Brasileiro da Série D.

 Assine o Correio do Estado  

 


 

Discriminação racial

Acordo evita prisão de torcedores condenados por racismo contra Vinicius Jr.

Ofensas ocorreram durante o jogo do Real Madrid contra o Valencia, em maio do ano passado

12/06/2024 23h00

Viniciu Jr. em ato antiracista durante jogo

Viniciu Jr. em ato antiracista durante jogo

Continue Lendo...

Os três torcedores do Valencia, condenados por insultos racistas contra o jogador brasileiro Vinicius Junior, não irão para a prisão. Condenados pela Justiça espanhola, eles se beneficiarão de uma disposição da lei espanhola que permite o cumprimento da pena em liberdade para réus primários com penas inferiores a dois anos.

Apesar da vontade da La Liga, entidade organizadora dos campeonatos de futebol na Espanha, de ver uma punição mais severa, o acordo foi aceito para evitar que o caso fosse a julgamento. O incidente ocorreu durante o jogo do Real Madrid contra o Valencia, em 21 de maio do ano passado, e inicialmente foi levado à Justiça sob o artigo 510 do Código Penal espanhol, que trata de crimes de ódio. Uma condenação sob esse artigo poderia resultar em penas de um a quatro anos de prisão.

Para evitar o risco de prisão, os advogados dos réus propuseram que eles fossem enquadrados no artigo 173.1 do Código Penal, que aborda delitos contra a integridade moral e prevê penas de seis meses a dois anos. O acordo foi aceito por todas as partes envolvidas, incluindo La Liga, Vinicius Júnior, a Real Federação Espanhola de Futebol e o Real Madrid. Embora La Liga argumentasse que uma condenação por delito de ódio seria mais justa, a decisão foi tomada com base no reconhecimento do crime pelos réus e seu pedido de desculpas.

A pena inicial de um ano foi reduzida para oito meses devido aos atenuantes, e será cumprida em liberdade. Além disso, os torcedores estão banidos de estádios de futebol por dois anos e, daqui para frente, não serão mais considerados réus primários.

Desde 2020, La Liga levou à Justiça 35 casos de racismo ou homofobia nos estádios, sendo 20 deles envolvendo Vinicius Júnior. A condenação recente é histórica, marcando a primeira vez que um caso de racismo é punido pela Justiça na Espanha.

*Com informações de Folhapress

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).