Esportes

QUARTAS DE FINAIS

A+ A-

Uruguai vence o México e enfrenta a Argentina

Uruguai vence o México e enfrenta a Argentina

Globoesporte.com

12/07/2011 - 22h51
Continue lendo...

O clássico entre os maiores campeões da Copa América está marcado para o próximo sábado: o Uruguai venceu o México por 1 a 0 nesta terça-feira, em La Plata, garantiu o segundo lugar do Grupo C  e vai enfrentar a Argentina nas quartas de final da competição. Vencedora da Copa Ouro da Concacaf, a seleção mexicana - representada por um time quase todo sub-22 - está eliminada.

O gol da primeira vitória uruguaia na competição foi marcado pelo lateral Álvaro Pereira. Com o resultado, a Celeste foi a cinco pontos e terminou a primeira fase atrás do líder Chile, que somou sete pontos. Assim, o time de Óscar Tabárez vai pegar a Argentina em Santa Fé, sábado, às 19h15m (de Brasília), com transmissão ao vivo do GLOBOESPORTE.COM. Uruguai e Argentina já venceram 14 vezes a Copa América e buscam a hegemonia do torneio.

A partida marcou a quebra de recorde do atacante Diego Forlán, que entrou em campo com a camisa da Celeste pela 79ª vez na carreira, deixando para trás o ex-goleiro Rodolfo Rodríguez. O camisa 10 foi substituído aos 45 do segundo tempo para a entrada de Loco Abreu, ídolo do Botafogo, fazer sua estreia na competição.

Com a vitória do Chile sobre o Peru, um pouco mais cedo, a seleção uruguaia entrou em campo sabendo que bastaria vencer o México por qualquer placar que a segunda colocação do grupo estaria assegurada. E com maior posse de bola, a Celeste tomou o controle do jogo desde o início, com os atacantes pressionando o México e Luis Suárez aparecendo sempre pelas pontas.

Logo aos 14 minutos a Celeste tratou de tranquilizar a torcida. Após falta sofrida por Suárez na intermediária, Forlán cruzou fechado, a bola foi desviada, o goleiro não segurou e Álvaro Pereira apareceu na pequena área para empurrar para o fundo do gol. Na comemoração, o lateral esquerdo homenageou o filho, que está prestes a nascer, com o tradicional 'embala neném'.

Dois minutos depois do gol Maxi Pereira roubou uma bola no meio campo e deixou Forlán em boas condições para o chute. O camisa 10 arrematou bem, mas Luis Michel fez boa defesa.

Saindo para o jogo apenas nos contra-ataques, quase sempre com Giovani dos Santos, o México assustou aos 25 min. O atacante fez a jogada individual pela esquerda, invadiu a área e chutou cruzado para boa defesa de Muslera, que até então apenas observada a partida.

Dono do jogo, o Uruguai por muito pouco não ampliou aos 30. Maximiliano cruzou para Forlán, a zaga mexicana não conseguiu cortar e o atacante teve tempo para dominar, calcular e chutar no canto. Mas a bola bateu no pé da trave direita do goleiro mexicano.

Em seguida foi a vez de Suárez quase marcar. Mas o chute da entrada da área não teve tanta força e Luis Michel espalmou para escanteio.

Com sua seleção bem inferior ao adversário, o técnico Luis Fernando Tena fez duas alterações para o segundo tempo. Saíram Giovani dos Santos e Aguilar para as entradas de Oribe Peralta e Javier Aquino.

Mas apesar das substituições o panorama não mudou em nada e o Uruguai iniciou a segunda etapa pressionando. Nos dez primeiros minutos a Celeste não finalizou, mas esteve o tempo inteiro rondando o gol mexicano com perigo.

Até que aos 14 minutos o México assustou. Depois do cruzamento da direita, Rafael Marquez cabeceou com força da marca do pênalti, mas a bola explodiu no peito de Sebastián Coates.

A resposta não demorou. Aos 17, Forlán aproveitou cruzamento de Suárez e com um leve desvio quase encobriu o goleiro. Quatro minutos depois, o camisa 10 retribuiu o passe e deixou Suárez na cara do gol. O atacante avançou livre e, na saída do goleiro, tocou para fora, desperdiçando excelente chance para o Uruguai ampliar.

A jogada mais bonita da partida aconteceu aos 25. Depois do cruzamento da esquerda, Forlán ajeitou com o peito para Diego Pérez, que, de primeira, acertou um chute rente ao ângulo do goleiro, levantando a torcida em La Plata.

Aos 30 foi a vez de Lodeiro, que entrara no lugar de Álvaro González, emendar de primeira o cruzamento de Maxi Pereira e acertar o poste esquerdo do goleiro mexicano.

A classificação uruguaia quase foi por água abaixo aos 35 minutos, quando Rafael Márquez mandou a bola para as redes. Mas o atacante estava impedido no momento do desvio de Jorge Enríquez e o auxiliar parou a jogada acertadamente. Já aos 45, o botafoguense Loco Abreu entrou no lugar de Forlán e estreou na Copa América, mas teve pouco tempo para aparecer.

Virou caso de polícia

Jogador da Portuguesa procura a polícia e denúncia PM por ameaça e injúria racial

O boletim de ocorrência foi registrado no 4º DP das Moreninhas em Campo Grande; o caso foi encaminhado a Corregedoria da Polícia Militar para investigação.

01/03/2024 18h22

Cenas lamentáveis de injuria racial aconteceu aos 18 minutos do primeiro tempo. Foto: Luciano Siqueira/ Portuguesa

Continue Lendo...

O zagueiro Vinicius Machado com a equipe jurídica da Associação Atlética Portuguesa, estiveram na Corregedoria da Polícia Militar no início da tarde de hoje (1), abrindo um inquérito investigativo de injúria racial feita por um policial militar que realizava a segurança das equipes de arbitragem. 

Reprodução/ 

As cenas lamentáveis aconteceram aos 18 minutos do primeiro tempo, na partida entre Portuguesa 4 a 3 contra o Náutico, na noite de ontem (29), no Estádio Jacques da Luz, em Campo Grande, pelo Campeonato Sul-Mato-Grossense.  

Conforme relatos do boletim de ocorrência registrado na 4º Delegacia de Polícia dos Moreninhas, em que o Correio do Estado teve acesso, detalha os minutos da confusão. 

Os jogadores da Lusa ficaram resvoltados após o juiz da partida, João Bosco Echeveria, não marcar uma penalidade a favor da Portuguesa. Os atletas titulares foram para cima do árbitro para questioná-lo, quando os policiais entraram em campo sem autorização.  

Ainda conforme descrito no boletim de ocorrência, neste momento o policial pegou no braço do zagueiro para tirá-lo da confusão.  O atleta olhou para o policial e o questionou sobre força truculenta que realizava o ato, retirando o atleta de campo. 

Inconformado, o zagueiro voltou ao gramado e foi novamente em direção ao árbitro, quando ouviu ameaças do mesmo policial, proferindo as seguintes palavras: “Eu acho você, onde você estiver aqui, vou lá no vestiário e pego você”. 

O atleta estranhou as ameaças e ouviu novamente do policial “Eu te dou voz de prisão, você está me desacatando, eu te prendo nego" 
 
 Não entendo muito bem o que estava acontecendo, o zagueiro questionou o policial que estava com as algemas em mãos e relatando as seguintes as palavras “"eu te prendo, nego". 
 
Revoltado, o atleta foi em direção ao árbitro e relatou as ofensas.  

Nas redes sociais, a Associação Atlética Portuguesa publicou nota repudiando o fato.

A.A Portuguesa/ Divulgação

Em nota, a assessoria da Polícia Militar relatou que "na observação do comandante que cuidava da equipe que estava no estádio, foi necessária a intervenção da polícia, a fim de resguardar a equipe de arbitragem e atletas. Após cerca de 20 minutos, os ânimos se acalmaram e a partida pode ser reiniciada sem maiores problemas", relatou.

Com relação ao suposto ato racista proferido pelo policial militar, a instituição destacou que “não compactua com qualquer tipo de desvio de conduta de seus integrantes, e que está investigando o caso" 

Questionamos novamente a Polícia Militar sobre o afastamento ou punição do policial, mas a assessoria relatou que o policial não será afastado tampouco punido até que se prove que o fato aconteceu.  

Até o momento, a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), não disponibilizou a súmula da partida, por isso não será possível saber se a arbitragem registrou ou não o fato. 

Assine o Correio do Estado.   

Seleção Brasileira

Dorival chama são-paulinos Rafael e Pablo Maia e palmeirense Murilo na primeira convocação

O goleiro Rafael e o volante Pablo Maia, do São Paulo, e o zagueiro Murilo, do Palmeiras, foram algumas das principais novidades entre os 26 nomes chamados na lista de convocados.

01/03/2024 18h00

Divulgação/ CBF

Continue Lendo...

Na primeira lista de convocados para a seleção brasileira do técnico Dorival Júnior, divulgada na sede da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), no Rio, nesta sexta-feira (1), o goleiro Rafael e o volante Pablo Maia, do São Paulo, e o zagueiro Murilo, do Palmeiras, foram algumas das principais novidades entre os 26 nomes chamados, assim como o atacante Savinho, do Girona e o zagueiro Beraldo, do PSG.

A convocação também marcou o retorno do meia Lucas Paquetá, do West Ham, que não esteve presente nas últimas convocações devido a uma investigação por manipulação de resultados na Inglaterra.

"É um trabalho minucioso tentando, naturalmente, buscarmos o que de melhor temos neste momento", afirmou Dorival Júnior.

Os nomes chamados marcaram uma mudança importante em relação à última convocação do Brasil, em novembro do ano passado, para as partidas contra Colômbia e Argentina pelas eliminatórias para a Copa de 2026. Dos 26 jogadores na lista, 15 não estiveram presentes na convocação anterior.

"Vamos colocar uma equipe em condições de brigar com qualquer seleção do mundo em igualdade de condições", disse o treinador, que chamou três jogadores campeões da Copa do Brasil com ele no São Paulo. A última vez que jogadores do clube foram convocados para a seleção principal havia sido em setembro de 2021, quando Tite chamou Daniel Alves e Miranda para confrontos contra Chile, Argentina e Peru pelas eliminatórias para a Copa de 2022.

No cargo desde janeiro, o treinador vai estrear à frente da equipe neste mês de março, no amistoso contra a Inglaterra, no dia 23, em Wembley. Na sequência, a seleção também encara a Espanha, dia 26, no estádio Santiago Bernabéu.

"É natural que todos estejam na expectativa de uma estreia em que voltemos a jogar dentro daquilo que estamos acostumados a ver a nossa seleção. Acho que isso já vinha sendo mostrado nas últimas partidas da nossa equipe, independente dos resultados que vinham acontecendo", disse o treinador da seleção brasileira.

Já nos primeiros compromissos, o comandante terá de agir para tirar a seleção de uma complicada crise. Antes de sua chegada, Fernando Diniz ocupava o cargo interinamente. O período com ele, porém, acabou marcado pelo acúmulo de marcas negativas, como a sequência inédita de três derrotas nas Eliminatórias, que deixaram a equipe na sexta posição —a última que garante vaga direta na Copa do Mundo.

Diniz foi contratado sem se desligar do Fluminense, acumulando os dois cargos, pois a intenção da CBF era de que ele seria um "tampão" até a chegada do técnico italiano Carlo Ancelotti, com quem o presidente da confederação assegurava que tinha um acordo verbal. O multicampeão, porém, acabou renovando seu contrato com o Real Madrid no final de dezembro, frustrando os planos do cartola.
Sem poder contar com o treinador europeu e como Diniz não decolou com a seleção, Ednaldo optou por rasgar o plano inicial e buscar uma solução definitiva imediata e definitiva até a Copa de 2026, apostando no profissional que estava no São Paulo.

"Eu não tenho dúvidas que nós estaremos presentes novamente em uma decisão de Copa", afirmou Dorival Júnior nesta sexta-feira.

Quando foi apresentado no início do ano, o treinador afirmou que, apesar do momento ruim da seleção, não seria necessário fazer uma reformulação completa no elenco. O técnico entende que seja hora de trabalhar mais o aspecto psicológico do grupo.

"Não é nem uma mudança de nomes, o que já vem acontecendo de uma maneira gradativa em relação à seleção que jogou a última Copa. É uma mudança emocional, postural. O atleta tem que entender que está aqui vestindo uma camisa muito pesada, referência no mundo todo", disse na ocasião.

Em relação à convocação do meia Lucas Paquetá, Rodrigo Caetano, diretor de seleções, afirmou que o jogador segue atuando normalmente pelo West Ham na Inglaterra, sem qualquer tipo de punição, e que se trata de um atleta de alto nível.

Dorival reconheceu ainda as dificuldades de se adaptar ao cargo de técnico da seleção brasileira, em comparação com o trabalho como treinador de clubes no qual esteve imerso nos últimos 22 anos.

"O trabalho é muito diferente", afirmou. Enquanto nos clubes, a rotina de treinos permite correções no dia seguinte às partidas, na seleção, há um espaçamento maior no trabalho de busca por uma formação ideal. "O primeiro mês [de trabalho à frente da seleção] foi bem complicado", disse o técnico, que aproveitou a convocação para prestar solidariedade aos jogadores do Fortaleza, que ficaram feridos após o ônibus do time ter sido atacado por torcedores do Sport.

"Tenho certeza absoluta que não foi a torcida do Sport, mas meia dúzia de pessoas totalmente descontroladas e que merecem uma punição muito séria e severa", afirmou o treinador, que chegou a comandar o time de Recife no início da carreira, tendo conquistado o Campeonato Pernambucano em 2006.

Dorival também não acredita que a turbulência política enfrentada pela CBF nos últimos meses, como a destituição e, posteriormente, recondução de Ednaldo à presidência, possa atrapalhar seu trabalho. A convocação nesta sexta-feira foi a primeira desde que o presidente da CBF se viu no meio de uma crise institucional que atingiu a confederação no fim de 2023.

"É um assunto em que eu não entro. Tenho a confiança do presidente para fazer meu trabalho daqui para a frente: preparar a equipe, ganhar jogos e chegar a uma Copa do Mundo que será muito disputada", disse durante sua apresentação como técnico da seleção brasileira.
À frente da equipe, além de conviver com a constante instabilidade na direção da CBF e buscar uma melhor pontuação nas Eliminatórias, Dorival terá como desafio recuperar a equipe para a disputa da Copa América deste ano, nos Estados Unidos.

Questionado sobre a decisão da CBF de não paralisar o Campeonato Brasileira durante a disputa da Copa América —que vai de 20 de junho a 14 de julho— Caetano assinalou que o calendário esportivo é bastante apertado, com as Datas Fifa, os torneios nacionais, como o Brasileiro, e internacionais, como o Mundial de Clubes. "Existe o ideal e o possível."
*
GOLEIROS
Bento (Athletico)
Ederson (M. City)
Rafael (São Paulo)*

ZAGUEIROS
Beraldo (PSG)*
Gabriel Magalhães (Arsenal)
Marquinhos (PSG)
Murilo (Palmeiras)*

LATERAIS
Danilo (Juventus)
Yan Couto (Girona)
Ayrton (Flamengo)
Wendel (Porto)

MEIO-CAMPISTAS
André (Fluminense)
Andreas Pereira (Fulham)
Bruno Guimarães (Newcastle)
Casimiro (M. United)
Douglas (Aston Vila)
João Gomes (Wolverhampton)
Lucas Paquetá (West Ham)
Pablo Maia (São Paulo)*

ATACANTES
Endrick (Palmeiras)
Gabriel Martinelli (Arsenal)
Rafinha (Barcelona)
Richarlison (Tottenham)
Rodrygo (Real Madrid)
Savinho (Girona)*
Vinicius Junior (Real Madrid)

*Jogadores convocados pela primeira vez para a seleção principal
 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).