Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Na pandemia, pele precisa de cuidados especiais

Isolamento sem sol, estresse ou contaminação pelo coronavírus podem causar problemas na pele
18/05/2020 07:00 - Naiane Mesquita


A pele pode mostrar de diferentes formas que há algo de errado com a nossa saúde, seja pelos altos níveis de estresse, seja por excesso ou falta de sol e até pela contaminação com a Covid-19, o maior órgão do corpo humano é capaz de apresentar sintomas que indicam a necessidade de cuidados especiais.

Em tempos de pandemia, em que há uma preocupação maior com a saúde e que o isolamento social é indicado, o esgotamento pode contribuir para o surgimento de lesões ou enfermidades, principalmente em pessoas que já sofrem com doenças de pele. “É notório e sabido que o estresse pode afetar a pele, sim, principalmente porque há várias doenças que são desencadeadas pelo esgotamento, em que o gatilho seria o estresse, desde psoríase e vitiligo até alguns quadros de dermatite. A pele é uma válvula de escape”, afirma o médico dermatologista Alexandre Moretti de Lima.

O isolamento pode prejudicar caso a pessoa não tenha contato com a luz solar por muitos dias. “O sol é importante para as funções vitais, para as funções de produção de vitamina D, que é essencial para a vida. O sol é uma fonte de energia e tem ação inflamatória”, explica Lima.

Isso não quer dizer que devemos permanecer por horas em exposição ao sol, principalmente das 10h às 16h, quando os raios ultravioletas são mais altos e o cuidado deve se redobrado. "Nós precisamos dessa radiação ultravioleta mais alta para a produção da vitamina D, mas, claro, nada em excesso, somente 10 a 15 minutos de exposição solar", frisa o médico. 

“Tudo que é em excesso é prejudicial, temos um slogan na Sociedade Brasileira de Dermatologia que diz ‘se exponha ao sol, mas não se queime’. A exposição exagerada pode desencadear danos na pele, como fotoenvelhecimento, piora de dermatoides prévias, como pênfigo, lúpus, rosácea. Essas doenças podem piorar com o sol. Claro que o sol é importante para as funções vitais, principalmente para a vitamina D, mas um sol controlado, e não um exagero”, frisa o médico.

 
 

Alimentação

Outro ponto que pode piorar a saúde não só da pele, mas de todo o corpo é a alimentação. Com os longos períodos em casa, é comum ouvir relatos de aumento no consumo de produtos industrializados, além de açúcares e carboidratos. “Na situação de quarentena, a gente tende a comer mais, principalmente açúcares e gorduras. O paciente, além de ganhar peso, vai aumentar as chances de ter acne, oleosidade. Então, nesse ponto, o isolamento social pode ter reflexos na pele”, explica o médico.  

A melhor prevenção é a alimentação saudável. “O melhor cuidado para a pele é fazer uma boa alimentação, ou seja, uma alimentação equilibrada entre proteínas, gorduras, açúcares e os famosos carboidratos. Outro ponto é beber bastante água, hidratar-se é importante para manter uma pele saudável”, frisa.  

 
 

Pele e coronavírus

Existe a incidência de lesões na pele em pessoas contaminadas pelo novo coronavírus (Covid-19). Pesquisadores italianos publicaram sobre o tema no Journal of the European Academy of Dermatology, ressaltando que ocorreram lesões dermatológicas em 20% de um grupo de 88 italianos infectados pelo coronavírus.

Segundo Lima, o vírus pode causar diversos tipos de lesões. “O coronavírus se manifesta, sim, na pele, a gente tem várias situações de aparecimento de alterações cutâneas em pacientes infectados com o coronavírus, principalmente lesões avermelhadas em pés e mãos, mas podem se apresentar como vesículas, bolhas, placas, lesões de urticarias, existem várias apresentações”, ressalta o médico.

 

DICAS

Cuidados com a pele

Higiene

  • A higiene da pele em geral é de extrema importância. Para a pele do rosto, a limpeza também é muito importante, sendo recomendada sua realização duas vezes ao dia, de manhã e à noite, para evitar o acúmulo de oleosidade e resíduos de maquiagem e outros produtos, poluentes e poeira.  

Hidratação

  • Uma boa hidratação auxilia na manutenção do viço e da beleza da pele, além de manter a integridade da camada de proteção cutânea e evitar problemas como descamação, ressecamento, envelhecimento precoce, irritações e infecções.

Alimentação saudável

  • Manter uma dieta rica em frutas e verduras, ou seja, que contenha muitas fibras.

Controle o sabonete

  • Evitar o uso excessivo de sabonetes, buchas, banhos muito quentes e prolongados, principalmente no inverno. Evite realizar esfoliações excessivas na pele.

Proteção solar

  • A exposição à radiação ultravioleta (UV) tem efeito cumulativo e os raios solares penetram profundamente na pele, podendo provocar diversas alterações, como o surgimento de pintas, sardas, manchas, rugas e outros problemas. A exposição solar em excesso pode causar tumores benignos (não cancerosos) ou malignos, como o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia

Felpuda


Candidato a prefeito em cidade do interior tremeu que só nas bases diante da decisão que tirou a corda do pescoço de adversário, liberando o dito-cujo para disputar a eleição.

Como acreditava que o pleito seria “um passeio”, estava até pensando no modelito que usaria no dia da posse.

Agora, teme nadar, nadar e morrer na beira da praia, deixando o terno pendurado no cabide.