Exclusivo para Assinantes

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

A+ A-

Prorrogação de Dívida Rural: O que o produtor deve fazer caso não consiga pagar sua dívida

Confira a coluna de Leandro Provenzano desta quarta-feira (15)

Assine e continue lendo...

O cenário agrícola é marcado por imprevisibilidades, que vão desde variações climáticas até oscilações de mercado. Diante desses desafios, o produtor rural pode se encontrar em situações em que o pagamento de suas dívidas se torna uma missão impossível. É neste contexto que o alongamento de dívida rural surge como uma ferramenta vital para a sustentabilidade da atividade agropecuária.


Sendo o Brasil um dos grandes exportadores de alimentos para praticamente o mundo todo, verificou-se a necessidade de criar condições especiais de crédito para os produtores rurais, especialmente quando algum caso fortuito ou de força maior o impede de quitar o crédito rural tomado com alguma instituição financeira. Por causa disso criou-se uma legislação especial para este tipo de crédito, facilitando uma prorrogação de pagamento da dívida rural, caso o produtor tenha tido algum problema com sua produção, que lhe impeça de quitar sua dívida.


Um dos grandes benefícios para o produtor rural no momento de renegociar o alongamento de sua dívida rural é que os juros cobrados no contrato originário não podem ser aumentados por parte da instituição financeira, com isso, o produtor rural consegue manter uma previsibilidade para realizar um plano de pagamento para apresentar ao banco credor.

Dívida Rural

Prolongamento da dívida rural: Um dever do banco e um direito do produtor

Confira a coluna de Leandro Provenzano desta quinta-feira, 11 de abril de 2024

11/04/2024 00h02

LEANDRO PROVENZANO

Continue Lendo...

Há pouco tempo tratamos do tema “prorrogação de dívida rural”, mas de lá para cá muitos produtores tiveram perdas de suas lavouras por causa da falta ou excesso de chuvas, o que comprometeu sua produtividade, bem como estão impossibilitando com que muitos desses produtores também não conseguissem pagar o crédito rural com o banco.


As intempéries climáticas aliado à falta de contratação de seguro rural pela maioria dos produtores trazem um cenário desesperador para quem vivo do campo, cujas consequências, nos casos mais graves, podem acarretar na perda da propriedade de onde ele retira o seu sustento.


Com o cenário climático ficando cada vez mais instável, não há produtor que consiga adivinhar o momento certo de plantar, colher ou até mesmo de diversificar sua produção. A mudança climática está trazendo consequências inclusive para o setor de seguros, que a cada dia encontra mais dificuldade de calcular as estatísticas de sinistralidade da produção segurada.


Para quem está nesta situação de endividamento bancário, uma dica de ouro é jamais colocar sua propriedade rural como garantia de um crédito tomado. Prefira sempre colocar parte de sua produção como garantia futura de pagamento. Este caminho, embora menos percorrido, oferece uma rede de segurança, permitindo que o produtor mantenha sua terra, seu bem mais precioso, fora do alcance dos credores em caso de adversidades.


O Direito à Prorrogação


De acordo com o Manual do Crédito Rural, a prorrogação de dívidas rurais não é apenas uma cortesia oferecida pelos bancos; é um direito do produtor rural. Este mecanismo é projetado para oferecer um fôlego aos agricultores que enfrentam dificuldades de pagamento devido a condições adversas, sejam elas climáticas, econômicas ou de produção. O alongamento da dívida permite que o produtor rural reorganize seu fluxo de caixa, realoque recursos e, em última instância, evite o inadimplemento, preservando sua credibilidade e sua atividade econômica.


Entendendo o Processo de Prorrogação


A prorrogação de dívidas rurais é mais do que um mero adiamento de pagamentos; é uma reestruturação do cronograma de débitos baseada na capacidade atual do produtor de honrar seus compromissos sem comprometer a viabilidade de sua produção. Para acessar este direito, é fundamental que o produtor apresente justificativas plausíveis e documentação que comprove as adversidades enfrentadas, seja um laudo técnico sobre a perda de safra, registros de fenômenos climáticos extremos ou evidências de impactos econômicos adversos.


A sustentabilidade da produção rural é benéfica para todas as partes envolvidas. Ao conceder a prorrogação, o banco não apenas evita a inadimplência, mas também fortalece sua relação com o produtor, incentivando a continuidade do negócio e a fidelização do cliente.


Em suma, o conhecimento e a utilização estratégica dos direitos relacionados ao crédito rural podem ser o diferencial que permite aos produtores rurais não apenas sobreviver, mas prosperar, mesmo frente aos desafios mais severos. Assim, fortalece-se não apenas a economia rural, mas todo o tecido social e econômico do país, evidenciando a importância do setor agrícola e daqueles que, dia após dia, fazem a terra frutificar.

Assine o Correio do Estado

ECONOMIA, INVESTIMENTO E DICAS

Potencial de redução de 49% do custo de transporte com a Rota Bioceânica

Confira a coluna de Michel Constantino desta terça-feira, 9 de abril de 2024

09/04/2024 00h05

MIchel Constantino Divulgação

Continue Lendo...

A Rota Bioceânica ou corredor rodoviário bioceânico que movimenta o noticiário, obras de infraestrutura entre Brasil e Paraguai e atrai investimentos logísticos e turísticos para uma nova rota entre Brasil e Chile, pode ligar os oceanos e reduzir os custos e o tempo logístico dos transportes para a Ásia e outros países.

Com a redução das distâncias, por exemplo:

    1. Centro-Oeste do Brasil e Chile de 4.516 km para 2.396 km
    2. Centro-Oeste do Brasil e Argentina de 4.049 km para 1.966 km
    3. Centro-Oeste do Brasil e Paraguai de 1.512 km para 730

As exportações para China, Índia, Indonésia, Vietnã somam mais de 120 bilhões, hoje exportamos mais para Vietnã e Indonésia do que para o Reino Unido e França, mudando a geoeconomia e o comércio internacional. Alguns players perdem relevância, e a Ásia se torna o principal destino.

De acordo com estudo realizado pelo Ministro João Carlos Pakinson do Ministério das Relações Exteriores, a redução de tempo e custo de transporte tem potencial de redução de 49%. Um exemplo de Antofagasta – Campo Grande o custo atual de transporte é de $ 1.029,81/t , e pode cair para $ 520,77/t usando o transporte rodoviário pelo corredor.

Com custo e tempo menor, os investimentos podem trazer um fluxo comercial de mais de 40% em exportações e importações para o Centro-Oeste, provocando um aumento exponencial no crescimento do estado, no turismo, na hotelaria, no setor de serviços e construção civil.  

A infraestrutura logística e outros modais de escoamento da produção serão fundamentais para garantir um crescimento econômico sustentável, com mais externalidades positivas para a população e o bem-estar das cidades.
 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).