Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Advertência do governador não incomoda Nelsinho

Advertência do governador não incomoda Nelsinho
04/05/2010 07:34 -


Fernanda Brigatti

O apoio à candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República é assunto bem resolvido para o prefeito Nelsinho Trad (PMDB). Nem o tom de ameaça imprimido pelo governador André Puccinelli (PMDB), ao avaliar a decisão do prefeito, abala a convicção de Nelsinho.
Questionado sobre sua interpretação da frase “cateto fora do bando vira comida de onça“, proferida por Puccinelli, o prefeito considerou que a afirmação não lhe dizia respeito. “Não sou animal, então não é comigo“, disse.
O prefeito de Campo Grande afirmou não se sentir ameaçado ou pressionado a retirar o apoio à candidata petista. Nelsinho disse, também, que receberá o pré-candidato José Serra (PSDB) e o presidente regional do partido, deputado estadual Reinaldo Azambuja, se for procurado. “Sempre fui conhecido pelo diálogo. Se eles quiserem conversar, vamos conversar”, comentou.
Nelsinho defendeu ainda que Puccinelli não está incomodado com o apoio declarado à candidata petista à sucessão do presidente Lula. “Não tem porque. Ele tem convicção de que eu vou fazer campanha pela reeleição dele”, declarou.
O prefeito foi o primeiro peemedebista a admitir que apoiará Dilma na campanha à Presidência da República. Na semana passada, Puccinelli – que até hoje não declarou apoio a nenhum pré-candidato – disse que a escolha será conjunta e que “cateto fora do bando vira comida de onça“.

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!