Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MANIFESTAÇÃO FRUSTRADA

Aliados de Bernal atacam taxista durante protesto

Aliados de Bernal atacam taxista durante protesto
16/03/2014 08:00 - jéssica benitez


O que era para ser um protesto contra a cassação do ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), acabou se tornando uma manifestação frustrada, coberta por ânimos exaltados. Ao invés de propagar a ideia de “golpe contra a democracia”, como os ex-secretários haviam dito que seria, os aliados ao progressista retaliaram a imprensa, opressão aos que não quiseram participar e adesão de poucas pessoas. Bernal só apareceu na parte da tarde. Logo no início do manifesto, o sindicalista Abílio Borges, responsável por organizar praticamente todos os protestos pró-Bernal que já ocorreram na cidade, hostilizou profissionais da comunicação e chegou a bater no carro de um site de notícias. Ele também incitou os outros manifestantes a cercar a imprensa, mas, ao ver que a situação poderia sair do controle, recuou. Abílio tinha cargo comissionado na secretária Municipal de Governo, até então gerida pelo professor Pedro Chaves (PSC).

Além disso, segundo relato do taxista Jair F. Primo, de 40 anos, os manifestantes jogaram tinta preta no vidro da porta traseira de seu táxi quando ele parou só semáforo da Avenida Afonso Pena com a 13 de Maio. Isso porque ele não quis pegar um panfleto distribuído por manifestantes. “Eu estava com passageiro no carro. Não quis pegar o papel e eles acharam ruim. Não sou obrigado a pegar, nunca fui a favor do Bernal, ele não fez bem para nossa classe”, contou o profissional. “Acho que fizeram isso com mais carros”, completou.

Pouco menos de 200 pessoas se reuniram na Praça Ary Coelho e seguiram na Afonso Pena. Munidos de cartazes, faixas e panfletos contra a cassação de Bernal, o grupo parava carros e pedestres na tentativa de fazer o movimento crescer. O protesto foi organizado durante reunião na última sexta-feira (14) com auxílio do presidente do Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP), Geraldo Gonçalves. Além de Abílio, a ex-diretora da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande (Agereg), Ritva Vieira, bem como o ex-superintendente de Comunicação da Prefeitura, Djalma Jardim estavam na manifestação. Ambos são figuras conhecidas quando o assunto é protesto pró-Bernal. 

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo....