Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

André e José Orcírio fazem corpo-a-corpo em Maracaju

André e José Orcírio fazem corpo-a-corpo em Maracaju
03/05/2010 08:00 -


Fernanda Brigatti

Os dois principais pré-candidatos e rivais históricos, o governador André Puccinelli (PMDB) e o ex-governador José Orcírio dos Santos, dividiram a atenção das pessoas que visitaram na 16ª Festa da Linguiça. Os dois ficaram a cerca de 30 metros de distância um do outro fazendo corpo-a-corpo com os eleitores, mas não se olharam nem se cumprimentaram.
O primeiro a chegar foi o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT), por volta das 11 horas. Acompanhado pela ex-primeira-dama Gilda Maria dos Santos e pelo deputado federal Vander Loubet (PT), Orcírio passou por todas as barracas montadas no Parque de Exposições. Ele foi ciceroneado pelo vice-prefeito de Maracaju, Alberto da Cruz.
Orcírio e André percorreram toda a rua principal do Parque de Exposições. A liturgia dos dois foi parecida. Abordaram visitantes em barracas, conversaram com expositores e comerciantes,  deixaram-se fotografar com crianças e entusiastas e, claro, comeram a tradicional linguiça de Maracaju, que dá nome à festa. O ex-governador escolheu o restaurante do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) para almoçar. O governador, ao chegar ao estande vizinho, passou cerca de 20 minutos conversando com potenciais eleitores. Só se aproximou do CTG quando teve a confirmação: o adversário foi embora. A saída de Orcírio foi elegante. Com a aproximação do governador, encerrou a conta e deixou o restaurante. Ao chegar à festa, o ex-governador disse, no entanto, que a participação no evento não tinha conotação política. “Vou almoçar com os companheiros, é uma festa da cidade, sem qualquer conotação política”, disse.

Acertos
Um dos encontros mais demorados na festa resultou na declaração de apoio, pelo prefeito Celso Vargas (PTB), à reeleição de Puccinelli. Os dois conversaram a portas fechadas em um gabinete montado no Parque de Exposições, junto do presidente regional do PTB, Ivan Louzada. E apesar do clima de pré-campanha, Puccinelli mais uma vez não quis falar sobre o candidato que apoiará na disputa à presidência e afirmou que não falará de política com o presidente Lula hoje em Ponta Porã. “Se ele começar a falar comigo, claro que eu vou, mas não é lugar“, disse.
A comitiva do governador era formada também pela senadora Marisa Serrano (PSDB), os deputados estaduais Reinaldo Azambuja (PSDB), Dione Hashioka (PSDB), Ary Rigo (PSDB) e Rinaldo Modesto (PSDB), o deputado federal Waldemir Moka (PMDB) e Márcio Monteiro (PSDB). Circularam pela festa os deputados estaduais Paulo Duarte (PT), Pedro Kemp (PT) e Paulo Correa (PR), e o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT).

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!