Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

André quer Antonieta coordenando sua campanha em Campo Grande

André quer Antonieta coordenando sua campanha em Campo Grande
09/04/2010 20:57 -


O governador André Puccinelli (PMDB) quer a primeira-dama de Campo Grande, Antonieta Trad (PMDB), coordenando sua campanha na Capital e se esforçou em afastar qualquer ação no sentido de vetar o nome de Antonieta como suplente do vice-governador Murilo Zauith (DEM) na disputa por vaga de senador. Ele se auto-classificou como a pessoa mais empenhada em ter Murilo na chapa majoritária do PMDB e destacou que a sua vontade é anunciar o democrata como seu candidato ao Senado hoje, em Dourados.

Para afastar qualquer suspeita de veto ao nome de Antonieta, Puccinelli voltou ao passado. Ele contou que, antes das prévias para escolher o candidato do PMDB ao Senado, o deputado federal Waldemir Moka (PMDB) convidou a primeira-dama para ser sua suplente. "Soube disse, me manifestei ao Osmar (chefe da Casa Civil, Osmar Gerônimo) e disse: eu gostaria que ela (Antonieta), pela sua eficiência, ficasse como coordenadora da minha campanha em Campo Grande", contou. "Mas, se ela achar que deve (ser suplente de Moka), eu prescindiria para lá, mas eu preferiria que ela fosse minha coordenadora na Capital", completou.

Em seguida, o governador relembrou o momento em que Murilo sugeriu a indicação da primeira-dama como sua suplente. "Eu disse, o problema é seu, a mulher é do Nelsinho, você conversa com ela. Só quero que não diga que eu determinei que ela seja, mesmo porque ela já tem um convite feito pelo Moka", relatou. "Aí, alguns imputam o veto (à indicação de Antonieta como suplente de Murilo) do PMDB. Não houve veto do PMDB, não houve veto do governador", acrescentou.

Para completar, Puccinelli destacou o interesse em ver Murilo candidato ao Senado em sua chapa. "Quem mais tem buscado com afinco a representatividade de Dourados, de um partido que não seja o PMDB, tem sido eu", afirmou. "Eu espero (poder lançar a candidatura do Murilo hoje em Dourados), venho insistindo para isso", finalizou. (LK)

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!