Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

André rejeita Murilo na vice e reafirma que a vaga é de Simone

André rejeita Murilo na vice e reafirma que a vaga é de Simone
17/03/2010 07:11 -


A indicação do segundo candidato ao Senado é o que está faltando para completar a composição da chapa majoritária do governador André Puccinelli (PMDB), que disputará as eleições de outubro próximo. Ontem, ele confirmou que a prefeita de Três Lagoas, Simone Tebet (PMDB), será a vice, afastando definitivamente a possibilidade de repetir a “dobradinha” com Murilo Zauith (DEM). Segundo Puccinelli, ao atual vicegovernador reservou-se uma das vagas ao Senado. Mas o DEM não pretende lançar Zauith como candidato no sacrifício apenas para “tapar buraco”. Nas articulações políticas, o governador nunca escondeu a sua preferência pelo deputado federal Waldemir Moka (PMDB) na disputa pelo Senado. A outra vaga ele gostaria de ver nas mãos do senador Delcídio do Amaral (PT). Inclusive, teria liberado os deputados estaduais para fazer campanha a favor do senador Delcídio, desde que também fosse forte o apoio a Moka. O problema é que Puccinelli não pode deixar aberta a segunda vaga para o Senado, em sua chapa. Muito menos, causar irritação entre os eleitores douradenses. Daí a necessidade do sacrifício político. Diante da possibilidade de derrota, o deputado estadual Zé Teixeira, uma das maiores lideranças do DEM no Estado, sugeriu a manutenção de Zauith na vaga de vicegovernador. Entretanto, ontem Puccinelli praticamente descartou tal possibilidade: “a Simone só não será vice se não quiser”. O fato é que o governador está decidido a contar com o vice-governador na disputa pelo Senado, mesmo com mínimas chances de vitória. Desta forma, ele daria prestígio à Grande Dourados e capitalizaria votos na região. “No ano passado, em setembro ou outubro, Dourados fez movimento solicitando a vaga ao Senado”, lembrou, ontem, durante evento na governadoria. “Nós achamos razoável. Portanto, tem uma vaga reservada”, disse. “Eu fui a Dourados e, perante todos, disse que o Murilo só não será candidato se não quiser”, completou. De tão decidido a lançar o atual vice-governador ao Senado, Puccinelli não trabalha com “plano B”. “Se não for o Murilo será o Zauith”, brincou ao ser questionado sobre a hipótese de o democrata não aceitar ir para o sacrifício. Fonte parlamentar do PMDB disse que hoje termina o prazo para Zauith revelar ao governador se aceitará concorrer ao Senado. Enquanto não resolve seu futuro, o vice-governador esquiva-se da imprensa. Desde a semana passada, a equipe de reportagem tenta conversar com ele, sem sucesso.

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!