Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLÍVIA

Brasileiros queimados vivos são sepultados em vala comum

Brasileiros queimados vivos são sepultados em vala comum
16/08/2012 09:51 - Tribuna Digital


Os brasileiros Rafael Dias Max, de 27 anos, e Jefferson Castro Lima, 22, queimados vivos em praça pública na cidade de San Matias, na Bolívia, foram sepultados ontem à tarde em uma vala comum naquela cidade, segundo o jornal eletrônico Eldeber.

“Os corpos estranhos também foram sepultados hoje, mas em uma vala comum. Devido às altas temperaturas e falta de reclamação dos corpos por parte da família, a polícia de San Matias foi forçada a enterrá-los”, diz a reportagem do site boliviano.

Os dois foram chacinados na noite de terça-feira, depois que cerca de 300 pessoas os retiraram à força da delegacia municipal, onde estavam presos sob acusação de matarem os bolivianos Paraba Paulino Ramos (33), Edgar Rojas Suarez (26) e Costa Paraba Vanderley (27).

Os brasileiros foram encharcados com gasolina e depois ateados fogo. Segundo a reportagem do Eldeber, parentes de bolivianos concordaram com o linchamento dos brasileiros, mas disseram que este é “o resultado da fadiga da população por ofensas constantes e crimes que ocorrem em San Matias, um lugar que tem apenas dez policiais”, relata a reportagem.

Esta manhã chegou ao local uma comissão formada por quatro oficiais da Força Especial de Combate ao Crime (FELCC) de Santa Cruz para auxiliar na investigação. Um ministro boliviano também deve se deslocar para a cidade e analisar a situação de conflito existente naquela região.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?