Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASIL/MUNDO

Caixa libera FGTS para quem mora no exterior; Japão será o primeiro

Caixa libera FGTS para quem mora no exterior; Japão será o primeiro
17/07/2010 07:40 -


SÃO PAULO

Os brasileiros que moram no exterior poderão sacar os recursos depositados no FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Inicialmente, apenas os residentes no Japão terão direito de usufruir do convênio, que será formalizado em 1º de agosto entre a Caixa Econômica Federal e o Ministério das Relações Exteriores.
Segundo a Caixa, há planos para oferecer o serviço em outros países, que ainda não foram definidos.
Os trabalhadores poderão solicitar o saque dos valores do FGTS por intermédio dos consulados-gerais do Brasil no Japão a partir do dia 2 de agosto. De acordo com o banco, a estimativa é de que 267 mil brasileiros morem no Japão.

Como fazer
Para sacar, é necessário que o trabalhador se encaixe em uma das quatro situações: ter se aposentado no Brasil, ter sido demitido sem justa causa também no País, término de contrato por tempo determinado ou conta inativa por três anos ou mais.
Após verificar a situação, deve preencher o formulário “Solicitação de Saque FGTS”, disponível nos sites da Caixa (www.caixa.gov.br) e do FGTS (www.fgts.gov.br), e comparecer a um dos consulados localizados em Tóquio, Nagóia ou Hamamatsu com o formulário e a documentação exigida.
A documentação será encaminhada para uma unidade da Caixa, no Brasil, e o crédito será realizado em conta que o trabalhador tenha em qualquer banco brasileiro. Caso não possua uma conta no Brasil, o beneficiário poderá indicar um terceiro de sua confiança, com conta no País, para receber os valores.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...