Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ACIMA DE 200 MIL ELEITORES

Campo Grande é a única que pode ter segundo turno no Estado

Campo Grande é a única que pode ter segundo turno no Estado
15/08/2012 18:00 - agência brasil


Campo Grande é a única cidade do estado onde pode haver segundo turno nas eleições municipais de outubro. Isso ocorre, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), porque somente a capital tem mais de 200 mil eleitores. Até junho deste ano, o tribunal contabilizou 561.620 eleitores.

Com 78 municípios, o estado tem 2.449.024 de habitantes, segundo dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Do total, 1.775.005 de pessoas estão aptas a votar no pleito municipal, com base no banco de dados do TRE até junho. Mais da metade do eleitorado (51,4%) é formado por mulheres.

Campo Grande é a maior cidade do estado com uma população estimada em 796.252 pessoas, segundo dados recentes do IBGE. Em 2009, a soma de riquezas do município alcançou R$ 11,6 bilhões, a maior parte proveniente do setor de serviços e comércio (R$ 7,8 bilhões).

A agricultura também ocupa parcela de destaque na economia da cidade. Apesar da agropecuária responder por apenas R$ 107,8 milhões do Produto Interno Bruto (PIB), Campo Grande é o quarto maior produtor de leite e possui o terceiro maior rebanho suíno do estado.

Nas eleições municipais, 206 candidatos disputam as prefeituras dos 78 municípios, conforme informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até o dia 24 de julho. Sete concorrem ao cargo de prefeito de Campo Grande. São eles: Alcides Bernal (PP), Edson Giroto (PMDB), Marcelo Bluma (PV), Reinaldo Azambuja (PSDB), Professor Sidney (PSOL), Suél Ferranti (PSTU) e Vander (PT).

Para vereador, 517 candidatos disputam 29 vagas na Câmara Municipal de Campo Grande.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?