Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MOBILIDADE URBANA

Campo Grande terá R$ 72 milhões para controlar o trânsito

Campo Grande terá R$ 72 milhões para controlar o trânsito
14/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


A presidente da República Dilma Rousseff anunciou ontem que Campo Grande vai receber R$ 72,83 milhões para elaboração de projetos e aquisição de equipamentos para viabilizar o Pacto de Mobilidade Urbana, que faz parte do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), segundo reportagem na edição de hoje (14) do jornal Correio do Estado.

O dinheiro é do Orçamento Geral da União (OGU) e será destinado para melhorias no transporte coletivo. Em Campo Grande, a expectativa é diminuir em 30% a duração de uma viagem de ônibus, após os investimentos públicos.

Este recurso faz parte dos R$ 3,8 bilhões para investimentos em mobilidade urbana em Brasília (DF), Goiânia (GO), Natal (RN), Palmas (TO), João Pessoa (PB), São Luís (MA) e Campo Grande (MS). São R$ 2,27 bilhões do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 1,58 bilhão de financiamento.

De acordo com a presidente, “Consideramos que era fundamental o governo federal participar ativamente dessas obras. Aí começamos a parceria e estabelecemos um critério para que a gente pudesse fazer a seleção: as obras deviam resultar na ampliação de uma rede de transporte coletivo de alta capacidade. Portanto, são obras que propiciam segurança com rapidez e que buscam a integração dos diferentes modais para que a gente pudesse obter tarifa justa”, disse a presidente, completando que estes recursos atendem “uma inexorável demanda por qualidade de vida” destas capitais. A reportagem é do correspondente em Brasília, Clodoaldo Silva.

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo...