Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Chinês é resgatado após descer com balão em ilhas disputadas com Japão

Chinês é resgatado após descer com balão em ilhas disputadas com Japão
02/01/2014 13:30 - FOLHAPRESS


Um cozinheiro chinês de 35 anos foi resgatado hoje pela Guarda Costeira japonesa ao tentar pousar com um balão em uma das ilhas de um arquipélago no mar do Leste da China, disputado por Pequim e Tóquio. As ilhas, chamadas de Senkaku pelos japoneses e Diaoyu pelos chineses, são um dos motivos para a crise diplomática entre os dois países, que se agravou em novembro após Pequim incluir o arquipélago em sua zona de defesa aérea.
Segundo a Guarda Costeira, o chinês deixou a Província de Fujian, perto de Taiwan, com a intenção de chegar à ilha de Uotsuri, que faz parte do arquipélago disputado entre os dois países. Os agentes foram acionados após receber um pedido das autoridades taiwanesas para que buscassem um homem desaparecido.

O homem e o balão foram encontrados duas horas depois a cerca de 22 quilômetros ao sul da ilha de Uotsuri. Horas depois, ele foi entregue a um barco patrulha chinês, que agradeceu o resgate em uma mensagem de rádio. As autoridades japonesas decidiram não apresentar nenhuma acusação contra o cidadão chinês por sua intromissão em suas águas territoriais, já que não era possível determinar o ponto exato em que o balão tinha caído ao mar.
A tensão na área das ilhas aumentou em setembro de 2012, quando o quando o Japão anunciou ter comprado as ilhas, que pertenciam a um dono particular japonês e eram patrulhadas por Tóquio. Desde então, os dois países fazem demonstrações de domínio, como o envio de barcos e aviões de patrulha.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.