Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Chuvas aliviam temor com a soja

Chuvas aliviam temor com a soja
14/02/2010 05:01 -


Depois da preocupação por causa de um período de estiagem na maioria dos municípios, o que estava colocando em risco muitas lavouras devido ao forte calor, voltou a chover em boa parte da região de Dourados na tarde e noite de sexta-feira. Agrônomos consultados pelo Correio do Estado disseram que a seca já durava de 15 a 20 dias em algumas áreas de vários municípios agrícolas, e a soja em formação de vagens estava sendo “cozinhada” pelo calor excessivo. A temperatura chegou a ser medida sob os pés de soja, chegando a atingir perto de 60 graus. Esse clima desfavorável estava sinalizado com perdas na produtividade, segundo disseram agricultores do distrito de Picadinha, porque os grãos não se desenvolviam direito e estavam ficando chochos. A mudança no clima na sexta-feira trouxe alívio à maioria dos produtores porque a chuva, com maior ou menor intensidade, foi bastante concentrada em lavouras da Grande Dourados. Mas outras regiões ficaram apenas com o tempo nublado sem as esperadas pancadas, como o Guassu, em Dourados. Mas as precipitações ocorreram em bons índices em Itaporã, Rio Brilhante, Ponta Porã, Dourados, inclusive na região do Itahum, normalmente considerada ruim de chuva. A Embrapa Agropecuária Oeste registrou 18,8 milímetros anteontem. Como o agrônomo douradense Sérgio Miranda explicou ontem, “não choveu em todos os lugares, ficando parte de lavouras sem água. Mas o tempo nublado ajuda a diminuir o calor e isso já ajuda a soja, com a umidade do ar”. Ele confirmou que os plantios estavam passando por períodos críticos por causa das temperaturas altas. Neste sábado, o dia permaneceu nublado em toda a região e sem calor. Em Dourados, o IBGE confirmou, na última reunião da Comissão Regional de Estatísticas Agropecuárias (Corea), um rendimento médio de 3.000 quilos por hectare, previsto na avaliação anterior, correspondendo a 50 sacas. Mas muitos agricultores colherão 55 sacas. Isso deverá garantir 420.000 toneladas de soja nos 140 mil hectares plantados neste município.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...