Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESQUECIMENTO

Comunidade do Indubrasil quer mais serviços, limpeza e estrutura

Comunidade do Indubrasil quer mais serviços, limpeza e estrutura
26/02/2014 09:00 - DA REDAÇÃO


                  Moradores da região do Indubrasil enfrentam drama cotidiano (Foto: Gerson Oliveira)

Dez anos após ser inaugurado no Jardim Inápolis, na região do Distrito Industrial Indubrasil, distante cerca de 10 quilômetros de Campo Grande, o Conjunto Residencial Tuiuiú ainda aguarda por serviços públicos, infraestrutura básica, limpeza e cascalhamento de ruas para as cerca de 100 famílias que residem no loteamento. A reportagem está na edição de hoje (26) do jornal Correio do Estado

O cenário de esquecimento também é o mesmo nas vilas Manoel Secco Thomé e Sarandi, que, junto ao Núcleo Industrial de Campo Grande, formam o Indubrasil, criado há quase 40 anos à beira da BR-262, entre a Capital e Terenos.

O descaso do poder público com a região começa pela má conservação das ruas. Na Rua Principal 1— na prática, uma avenida asfaltada que começa na rotatória da Avenida Solon Padilha com o minianel rodoviário e a BR-262, e que dá acesso à região do Indubrasil —, o canteiro central está tomado pelo mato, que, também, quase encobre a sinalização de trânsito.
Próximo dali, na Rua Ganso, em trecho onde termina o asfalto, um lixão foi formado em meio ao mato, próximo da área ocupada irregularmente por 11 famílias até a inauguração do Conjunto Tuiuiú.

“Ali, era cheio de casas. Tiraram o pessoal, colocaram no residencial e ficou o abandono”, conta Edilene Cebálio de Oliveira, 35 anos, residente na Vila Manoel Secco Thomé. A reportagem é de Daniella Arruda.

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!