Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORRÊA E HENRY

Condenados no mensalão são transferidos

Condenados no mensalão são transferidos
27/12/2013 14:30 - G1


O Ministério da Justiça, responsável pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), confirmou a transferência nesta sexta-feira (27) do ex-deputado Pedro Henry para Cuiabá, no Mato Grosso, e de Pedro Corrêa para Recife, capital de Pernambuco.

Condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão, Henry e Corrêa cumpriam pena no Complexo da Papuda, em Brasília.

Pedro Henry se entregou à Superintendência da Polícia Federal em Brasília em 13 de dezembro. Acusado de ter recebido dinheiro em troca de apoio político no Congresso ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-deputado do PP foi condenado pelo Supremo a 7 anos e 2 meses pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele renunciou ao mandato após se entregar.

O ex-deputado Pedro Corrêa se entregou à Polícia Federal em 5 de dezembro. Ele começou a cumprir pena 7 anos e 2 meses na Papuda pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Transferências
O presidente do Supremo Tribunal Federal e relator do processo do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, já autorizou transferência de cinco condenados para Minas Gerais. São eles, o ex-deputado Romeu Queiroz, a ex-funcionária de Marcos Valério Simone Vasconcelos e os ex-dirigentes do Banco Rural José Roberto Salgado, Vinicius Samarane e Kátia Rabello.

Outros pedidos, como o de Marcos Valério, para Minas Gerais, e o do ex-presidente do PT José Genoino, para cumprir prisão domiciliar em São Paulo, ainda não foram analisados.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.