Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Conteúdo de livro provoca reação

Conteúdo de livro provoca reação
24/02/2010 06:46 -


O livro “Dia 4”, recomendado aos alunos da sexta série do ensino fundamental, pela Escola Cenecista Oliva Enciso, de Campo Grande, gerou polêmica por apresentar, segundo Ângela Goveia, tia de uma aluna, palavrões e trechos com declarações preconceituosas. O livro está incluído nos materiais pedidos para os alunos de 10 anos e os pais devem comprá-lo na Escola pelo preço de R$ 20. Em várias páginas, a publicação apresenta palavrões e citações de atitudes violentas. “Não faz sentido usar um livro desses, que estimula a violência. Se a criança fala palavrão na escola, como eu posso dizer que é errado em casa?”, afirmou Ângela, indignada. Por e-mail, a direção do colégio afirmou a ela que o trabalho seria desenvolvido com o livro por conta da possível proximidade com o autor, o que poderia propiciar o debate e estimular as crianças à leitura. Segundo informou a escola, o livro teria sido escrito por um ex-aluno. A tia da aluna afirmou que o uso do livro na escola “fere os princípios éticos básicos de qualquer instituição de ensino”. Além disso, ela defende que o dinheiro pago à escola pelo exemplar seja devolvido aos pais. A coordenadora da escola, Célia Regina Tavares Rino, informou que, após reunião, os pais de alunos de uma das turmas da 6ª série aceitaram manter o uso do livro, após justificativa da Escola. “Quem fez as declarações contra o livro teve visão distorcida e sem fundamentação”, afirmou. Segundo ela, o projeto pedagógico inovador da Escola justifica o uso do livro para estimular o livre pensar dos alunos. “A proposta pedagógica é de total diálogo”, afirmou.

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.