Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DECORAÇÃO

Cor preta 'apaga' paredes e aumenta ambiente

Cor preta 'apaga' paredes e aumenta ambiente
20/08/2012 00:00 - terra


Muita gente acha que o preto tem o efeito de diminuir os ambientes. Mas, na verdade, o efeito é o contrário. “Essa cor fornece profundidade visual, pois 'apaga' a parede e faz crescer o cômodo”, afirma o arquiteto Diogo Oliva, do Estúdio doisA, de São Paulo. Já paredes brancas, por exemplo, saltam aos olhos e marcam claramente os limites do imóvel.

Quando fez o projeto de um apartamento com poucas divisões, o arquiteto não teve dúvidas: carregou de preto na cozinha, para combinar com a sala. As cadeiras do balcão e a geladeira, no entanto, são em amarelo, e saltam aos olhos em meio ao tom escuro. Oliva justifica a opção ao apontar outra característica do preto: “Como é uma cor neutra, destaca elementos pontuais coloridos”.

Para a designer de cores da Suvinil Ana Kreutzer, esse tom passa a impressão de “sofisticação, seriedade, confiança e poder.” Não por acaso, reforça Oliva, o preto é muito usado em acabamentos mais sofisticados. O que não quer dizer que passe sempre a sensação de sisudez. “Quando aplicado em listras e outras formas gráficas com branco, ajuda a criar movimento, deixando o ambiente descontraído e divertido”, comenta Ana.

Ele cabe em qualquer ambiente. Em alguns casos, no entanto, convém dar atenção especial à luz. “Em locais de permanência curta, como banheiros e lavabos, não há problema. Mas naqueles em que se fica mais tempo, como cozinhas e salas, é preciso uma iluminação boa, caso contrário, o cômodo fica muito escuro”, adverte Oliva.

Ana prefere usá-lo em ambientes pequenos e de permanência curta, como lavabos. Para os amplos, sugere pintar apenas uma parede com a cor. “Dá um ar de sofisticação”, argumenta. Só não é preciso ser comedido nas salas de home theater, em que o tom escuro vai especialmente bem, pois potencializa o brilho e a luminosidade das televisões de LED.
 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!