Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Corinthians tem força máxima contra o Independiente

Corinthians tem força máxima contra o Independiente
10/03/2010 10:40 -


Demorou três meses, mas finalmente o Corinthians entrará em campo com toda a sua escalação considerada titular. A expectativa é de que Ronaldo e seus companheiros provem a evolução da equipe no primeiro jogo fora de casa pela Copa Libertadores da América: contra o Independiente Medellín, às 20h50min (MS), na Colômbia. O jogo na Colômbia é considerado fundamental para as pretensões do Corinthians na fase classificatória. Líder do grupo 1 com 3 pontos, pois derrotou o Racing por 2 a 1, o time brasileiro pretende derrotar o Independiente Medellín para ter tranquilidade contra o Cerro Porteño, também fora de casa, na próxima rodada. O Corinthians terá mais um problema para enfrentar o Independiente Medellín: Bogotá está a mais de 2.600 metros acima do nível do mar. Para amenizar os efeitos da altitude, a equipe viajou na véspera da partida. De qu a lquer forma, a pressão não será tão i ntensa nesta quarta-feira. O Independiente Medellín foi impedido de jogar em seu estádio, o Anastasio Girardot, por causa da realização dos Jogos Desportivos Sul-americanos (Odesul). “Com isso, o ambiente mudou. O campo é neutro”, definiu Mano Menezes, satisfeito. Por sua vez, os jogadores do Independiente Medellín garantem que não temem as estrelas do Corinthians. O panamenho Nelson Barahona, provável novidade entre os titulares da equipe colombiana, avisou: “Ronaldo e os outros não são extraterrestres. Jogam bola como nós. A presença deles só faz com que a partida seja mais interessante”.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...