Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LIMINAR

Decisão sobre ICMS do e-commerce deve tirar R$ 265 milhões do Estado

Decisão sobre ICMS do e-commerce deve tirar R$ 265 milhões do Estado
20/02/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


A decisão liminar do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), de anteontem (18), em suspender o Protocolo 21, do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), pode tirar R$ 265 milhões dos cofres do Governo de Mato Grosso do Sul em 2014, segundo reportagem na edição desta quinta-feira (20) do jornal Correio do Estado. O ministro considerou inconstitucional o pagamento nos estados de destino do Imposto sobre Circulação de  Mercadorias e Serviços (ICMS) de produtos comprados pela internet ou por telefone, o e-commerce.  

De acordo com Jader Julianelli, secretário de Estado de Fazenda de Mato Grosso do Sul, a suspensão da cobrança de 10% ou 5% do ICMS no e-commerce pelo Governo do Estado só deve ocorrer após o Confaz comunicar oficialmente a decisão do ministro.“Há entendimento jurídico de que a notificação do Confaz tem de ser feita ao secretário e não ao Governo estadual”, explicando que: “após o comunicado do Confaz, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) vai analisar a decisão do ministro e decidir o que vai ser feito juridicamente, uma vez que o nosso decreto (13.162/11) que regulamenta a cobrança no Estado não ratificou o protocolo, tanto que tivemos decisão favorável à cobrança no STJ (Superior Tribunal de Justiça) no ano passado. O nosso decreto foi considerado constitucional pelo STJ”. A reportagem é do correspondente do Correio do Estado em Brasília, Clodoaldo Silva.

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!