Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Decretada a prisão de acusado de homicídio

Decretada a prisão de acusado de homicídio
28/08/2010 08:42 -


A Justiça decretou a prisão preventiva de Florisvaldo Francisco da Silva, o Borevi, de 45 anos. Ele foi localizado pela polícia e já está numa das celas da 4ª Delegacia, nas Moreninhas. Florisvaldo é acusado de matar com golpe de punhal Andréia de Souza, 32 anos, crime esse registrado na noite do último domingo.
De acordo com as informações, o assassinato aconteceu na Rua Nicomedes Vieira de Rezende, Bairro Vilas Boas, em Campo Grande, e horas depois, o barraco onde o acusado morava foi incendiado.
Andréia foi encontrada por uma tia, no quintal da residência de Florisvaldo. Ela estava ferida e chegou a ser socorrida, mas não resistiu ao ferimento. Conforme a polícia, vítima e Florisvaldo eram vizinhos e costumam consumir bebida alcoólica e drogas juntos.
De acordo com o adjunto da 4ª Delegacia de Polícia e responsável pelas investigações, Wilton Vilas Boas, o acusado confessou o crime, mas não detalhou o motivo. Ele disse apenas que ela o perturbava e que os dois discutiram na noite do crime.
Florisvaldo foi preso na tarde de quarta-feira, no Bairro Rita Vieira, quando seguia para a casa de parentes, com o objetivo de pegar dinheiro emprestado. Sua intenção era fugir para Cuiabá, em Mato Grosso, onde tem amigos e já morou.
No momento de sua prisão, Florisvaldo carregava uma mochila contendo roupas e objetos pessoais, bem como o punhal que utilizou para matar Andréia. “Estava tudo pronto para fugir”, contou o delegado Vilas Boas.
Para a polícia, o acusado relatou que após o crime fugiu para um matagal, no Bairro Itamaracá, e durante três dias se alimentou apenas de goiaba. Ainda de acordo com Wilton Vilas Boas, várias pessoas já foram interrogadas, dentre elas, parentes da vítima, mas até o momento ninguém confessou ter ateado fogo no barraco onde Florisvaldo morava. (VS)

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido