Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VINE

Dilma entra em rede social de vídeos curtos

Dilma entra em rede social de vídeos curtos
24/01/2014 07:45 - Agência Brasil


A presidente Dilma Rousseff começou a usar ontem (23) uma nova rede social. Pela manhã, ela criou uma conta no Vine, aplicativo para smartphones que permite ao usuário postar e compartilhar vídeos de até 6 segundos.

Na primeira postagem, a presidenta publicou um vídeo com imagens dos estádios que serão palco da Copa do Mundo deste ano, com a informação de que haverá jogos do Mundial em todas as regiões brasileiras.

O Vine permite que as pessoas gravem vídeos de seus próprios celulares com acesso à internet e o publiquem, com comentários, por meio do Twitter e do Facebook. “Vine é a melhor maneira de ver e compartilhar a vida em movimento. Criar vídeos curtos e bonitos de uma maneira simples e divertida para seus amigos e família verem”, informa a descrição do aplicativo.

Depois de três publicações, Dilma alcançou, no início desta noite, 158 seguidores. “O legado da Copa das Copas do Brasil será geração de emprego e renda e investimento em mobilidade urbana”, escreveu a presidenta ao postar mais dois vídeos.

A ordem para quem acessa o aplicativo é ser criativo. Escolher o melhor ângulo e os melhores movimentos em apenas 6 segundos é uma das atrações do Vine aos usuários, cada vez mais conectados por pequenos aparelhos de forma rápida.

Os vídeos produzidos pela presidenta, até o momento, entretanto, têm sido mais institucionais, com imagens de operários trabalhando nas obras da Copa, de melhorias no transporte público e dos novos estádios. No ano passado, Dilma criou um perfil no aplicativo de fotos instantâneas Instagram e voltou a postar mensagens no Twitter.

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.