Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Diretrizes reduzem em 31% número de pessoas com autismo

Diretrizes reduzem em 31% número de pessoas com autismo
01/03/2014 00:00 - Terra


As novas diretrizes de diagnóstico do transtorno do espectro do autismo, divulgadas em maio do ano passado pela Associação Psiquiátrica Americana, podem reduzir em 31% o número de pacientes com a condição, segundo pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. Especialistas afirmam que as mudanças podem deixar milhares de crianças sem diagnóstico, ou seja, sem suporte educacional e apoio social. Os dados são do jornal Daily Mail.

O velho manual incluía três subgrupos na ampla definição de transtorno do espectro do autismo: transtorno autista, transtorno de Asperger e transtorno invasivo do desenvolvimento. A revisão americana elimina esses subgrupos, estabelecendo um leque mais limitado de critérios para o diagnóstico de autismo. No entanto, inclui uma nova categoria, chamada de distúrbio de comunicação social, para diagnosticar pessoas com dificuldades de interação sem outros atributos associados ao autismo.

Ao usar o novo manual, houve uma queda de 22% no número de pessoas diagnosticadas com transtorno autista. Entre as com transtorno invasivo do desenvolvimento, a redução foi de 70%. No entanto, não houve declínio notável no número de pessoas com transtorno de Asperger.

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.