Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Dois morrem crivados de balas na fronteira

Dois morrem crivados de balas na fronteira
24/08/2010 09:36 -


PONTA PORÃ

Dois homens morreram crivados de balas no final de semana na região de fronteira. Os crimes aconteceram nas divisa de Ponta Porã e de Coronel Sapucaia. Uma das vítimas é indígena e pode ter sido morta pelos seguranças de uma fazenda. Em Pedro Juan Caballero, uma criança de 7 anos foi raptada na manhã de ontem depois que a mãe entrou por alguns instantes no prédio de uma faculdade.
Segundo as informações da Polícia Nacional, Eliseo del Padre Lopes, de 24 anos, estava na linha de fronteira de Capitán Bado com Coronel Sapucaia, momento que dois homens armados e ocupando uma motocicleta se aproximaram e fizeram vários disparos. Eliseo foi baleado na cabeça e morreu antes de ser socorrido. Os autores teriam atravessado para o lado brasileiro e até o momento não foram identificados.
Já o indígena Leôncio Jimenez, de 42 anos, foi encontrado já sem vida no interior da fazenda Fabris, na localidade de Puente Aquidaban. Ele apresentava várias perfurações pelo corpo, provavelmente de escopeta calibre 12. A vítima estaria caçando animais nas imediações, momento que teria sido morta por seguranças da referida propriedade rural. O caso está sendo apurado pela Polícia Nacional.

Sequestrado
Um garoto de apenas 7 anos, identificado pelas iniciais F.J.G., foi raptado por uma desconhecida na manhã de ontem, nas imediações da Universidade Del Norte, em Pedro Juan Caballero, perto da linha divisória com Ponta Porã. A mãe, Patrícia Mancuello, informou aos policiais que deixou o menino acompanhado da irmã também menor na entrada da faculdade enquanto adentrou ao prédio.
A mulher fala que retornou em questão de minutos, mas o filho já não estava mais no local. A irmã do menino disse que uma mulher se aproximou, pegou o garoto pelo braço e fugiu rapidamente. A Polícia Nacional está investigando o caso, mas até ontem à tarde não tinha informações sobre o paradeiro da vítima. (EJA)

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...