Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Dunga ignora apelos e chama os de sempre

Dunga ignora apelos e chama os de sempre
11/05/2010 23:55 -


Rio de Janeiro

Desde que assumiu o comando técnico da seleção brasileira, o técnico Dunga pregou a coerência como seu principal critério para convocar os jogadores. E, ontem, na lista dos atletas que defenderão o Brasil na Copa do Mundo da África do Sul, o treinador manteve a base trabalhada nos últimos quatro anos e não surpreendeu na escolha dos 23 jogadores que defenderão o Brasil na briga pelo hexacampeonato.
Assim, Neymar e Paulo Henrique Ganso, grandes sensações deste primeiro semestre com a camisa do Santos, não terão a oportunidade de defender a seleção brasileira no Mundial. Por outro lado, Ronaldinho Gaúcho e Roberto Carlos, remanescentes do fracasso da Copa de 2006, também estão de fora da lista principal.

O grupo convocado por Dunga possui oito remanescentes da eliminação para a França nas quartas de final do Mundial da Alemanha, há quatro anos. Na época, Júlio César era o terceiro goleiro da equipe, Lúcio e Juan formavam a dupla de zaga titular, que se destacou no torneio e Luisão ocupou o banco de reservas, posto que deverá repetir na África do Sul.

No meio-campo, Gilberto Silva começou a Copa na reserva de Emerson e atuou diante dos franceses. Kaká, por outro lado, entrou como um dos destaques do ‘quadrado mágico’ e acabou crucificado, da mesma forma que Adriano, conhecido por ser o Imperador da Internazionale, e que foi cortado na última hora, por apresentar um comportamento pouco profissional no Flamengo.

A vaga do Imperador ficou com Grafite, destaque do Wolfsburg, da Alemanha, e campeão do Mundial de Clubes e da Libertadores de 2005 pelo São Paulo. Robinho, por sua vez, era uma revelação em 2006 e ocupava o banco de reservas do time de Parreira. Atualmente, o Rei das Pedaladas é um dos destaques da equipe de Dunga.

Na opinião do treinador, os títulos que conquistou justificam a manutenção do elenco e do estilo de jogo mais conservador, mesmo diante de toda pressão pela convocação de jogadores ofensivos. “É uma seleção que ganhou a Copa América, Copa das Confederações, Eliminatórias, ganhou da Argentina depois de 30 e tantos anos, então qual é a surpresa que vocês querem?”, disse Dunga.

Lucas
O douradense Lucas, que participou de três convocações para a seleção principal, e foi titular no último jogo oficial do Brasil, em outubro de 2009, contra a Venezuela, em Campo Grande, ficou fora da lista.

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.