Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Em Cassilândia, 50 famílias estão desabrigadas por causa da chuva

Em Cassilândia, 50 famílias estão desabrigadas por causa da chuva
31/01/2010 07:48 -


Depois de mais de 12 horas de chuva ininterrupta, o município de Cassilândia, na região do bolsão sul-matogrossense, enfrentou sexta e sábado alagamento e cerca de 50 famílias ficaram desabrigadas, a maioria pessoas que moravam próximas ao Rio Aporé. Na cidade, dois córregos, o Cedro e o Palmito transbordaram por causa do grande volume de água da chuva. Os dois cortam a cidade e transbordaram na madrugada de sábado, derrubando inclusive uma ponte usada por pedestres, próxima à estação rodoviária da cidade. Todas as famílias que tiveram suas casas invadidas pelas águas foram alojadas na casa de parentes ou na escola municipal Ilma Costa e no Centro de Referência de Assistência Social (Cras), onde receberam roupas, cobertores e alimentação, doados pela prefeitura e pela comunidade. O Córrego Palmito e também o Cedro são afluentes do Rio Aporé, que é afluente do Rio Paranaíba, que se unindo com o Rio Grande formam o Rio Paraná, que separa os estados de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo. O prefeito de Cassilândia, Carlos Augusto da Silva (DEM), afirmou neste sábado que já está providenciando documentação para decretar situação de emergência. Segundo ele, dezenas de famílias foram desalojadas e estão com medo de retornar para suas casas, temendo novas chuvas e desabamentos. Ele informou ainda que a prefeitura já conseguiu parte dos recursos para obras de revitalização dos córregos, com dragagem e perfilamento das calhas, orçada em R$ 35 milhões. A Defesa Civil em Cassilândia já está fazendo o cadastramento das famílias desabrigadas, que receberão toda a assistência. A enchente dos córregos já provocou também a destruição de pontes na zona rural e deixou praticamente intransitáveis as estradas vicinais, isolando a população rural, como é o caso da ponte que dá acesso ao distrito de Alto Tamandaré (município de Paranaíba).

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...