Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INOVAÇÃO

Em pré-moldados, UEMS fica pronta <br> até dezembro

Em pré-moldados, UEMS fica pronta <br> até dezembro
05/01/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Tendência na construção civil, as obras pré-moldadas cada vez mais ganham força em Mato Grosso do Sul e até o final do ano, o Estado deve receber a primeira obra pública construída nesta modalidade, conforme reportagem na edição de hoje do jornal Correio do Estado. O empreendimento em questão é a unidade universitária da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul que está sendo erguida ao lado do Centro de Pesquisas da Agraer, na MS-080, saída para Rochedo, em Campo Grande. Obra limpa e três vezes mais rápida do que as convencionais, são algumas das vantagens do negócio.

De acordo com o secretário de Estado de Obras Públicas e Transportes, Edson Giroto, se fosse construída da maneira convencional, a unidade demoraria até dois anos para ser finalizada, mas levará até seis meses, depois que as partes começarem a ser montadas. “Temos que fazer concepção de acordo com a necessidade. Não se pode mais fazer obra de forma tradicional. O Brasil está passando por mudanças muito rápidas e temos que buscar esse processo de tecnologia, inclusive na construção civil”, disse Giroto.

Segundo a reportagem de Laura Holsback, por enquanto, a obra está na fase de terraplanagem e arruamento. O prazo para que as partes pré-fabricadas comecem a ser colocadas é de 120 dias. As empresas vencedoras de licitações, conforme Giroto, já produzem as peças de concreto que darão formato à estrutura. A previsão é que seja entregue até o final de 2014. 

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.