Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Escorpiões proliferam-se <br> na Santa Casa

Escorpiões proliferam-se <br> na Santa Casa
07/02/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


A Santa Casa de Campo Grande está tendo uma infestação de escorpiões, segundo informações de servidores e sindicato. Os setores de CTI (Centro de Terapia Intensiva), Centro Cirúrgico e de queimados estariam com maior perigo para pacientes e trabalhadores, segundo reportagem na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

A administração da Santa Casa chegou a contratar uma empresa dedetizadora para resolver o problema. Porém, mesmo após realizar a dedetização, os escorpiões não sumiram e continuam a ameaças quem vai ao hospital, o maior do Estado.

A própria Santa Casa, via assessoria de imprensa, confirma a infestação, mas afirma que está tomando todas as medidas necessárias para acabar com o problema.

O número de escorpiões chegou a tal ponto que virou prioridade em reunião do Sindicato dos Enfermeiros de Mato Grosso do Sul, em assembleia realizada no fim do mês passado.

“A situação nos foi passada pelos enfermeiros da Santa Casa, que relataram essa infestação de escorpiões no hospital”, confirmou Lázaro Santana, presidente do sindicato. “Cobraram uma posição da administração, e vamos marcar uma reunião com os responsáveis”, emendou.

A Santa Casa de Campo Grande reconheceu a proliferação de animais peçonhentos, mas afirmou que todas as medidas possíveis para acabar com a infestação de escorpiões no hospital já foram tomadas. Até uma biólogo foi chamado para analisar e dar soluções para o problema na instituição, e uma área, apontada como “criadouro”, já está interditada. A reportagem é de Vinícius Squinelo.

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.