Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VIOLÊNCIA

Ex-editor de jornal liberal é esfaqueado em Hong Kong

Ex-editor de jornal liberal é esfaqueado em Hong Kong
26/02/2014 22:00 - FOLHA PRESS


O ex-editor-chefe de um jornal liberal de Hong Kong foi esfaqueado hoje em plena luz do dia, num caso raro de violência na região semiautônoma chinesa.

Kevin Lau foi hospitalizado em estado crítico após ser atacado por um homem de capacete na garupa de uma motocicleta, que lhe deu vários golpes com uma faca e fugiu sem ser identificado.

O atentado está sendo associado à crescente pressão sofrida por jornalistas de Hong Kong que seguem uma linha crítica a Pequim.

No último domingo, uma manifestação em defesa da liberdade de imprensa reuniu seis mil jornalistas na ex-colônia britânica.

Muitos aproveitaram para protestar contra a demissão de Lau, no mês passado, do cargo de chefia que ocupava no jornal "Ming Pao", uma publicação conhecida pelas reportagens investigativas.

Para eles, a saída de Lau foi mais um sinal preocupante da pressão de Pequim para abafar a liberdade de expressão e o jornalismo crítico em Hong Kong.

Na época, 90% dos funcionários do "Ming Pao" assinaram um abaixo-assinado exigindo explicações para a demissão. Alguns colunistas deixaram seus espaços em branco, como protesto.

Em janeiro, o "Ming Pao" foi um dos jornais que colaboraram com uma investigação que revelou parentes de dirigentes chineses mantém contas secretas em paraísos fiscais.

O chefe do Executivo de Hong Kong, C.Y. Leung disse estar "indignado" com o atentado. "Hong Kong é uma sociedade regida pela lei e não vamos tolerar esse tipo de violência", disse.

O ataque contra Kevin Lau é o episódio mais grave de uma escalada de tensão em torno de jornalistas independentes. Em junho do ano passado, homens empunhando facas ameaçaram funcionários do "Apple Daily", outro jornal de Hong Kong crítico ao governo.
Em um comunicado, o Clube de Correspondentes Estrangeiros alertou que a reputação de Hong Kong como "cidade livre e internacional" está em risco.

Jornalistas de Hong Kong afirmam que a liberdade de imprensa é vítima da crescente influência econômica da China continental na antiga colônia britânica, já que os veículos de mídia temem desagradar Pequim e perder anúncios lucrativos.

De acordo com a organização Repórteres sem Fronteiras, o declínio é constante desde que Hong Kong voltou ao controle chinês, em 1997. A região ocupava o 18º lugar no ranking mundial de liberdade de imprensa em 2002 hoje está em 61º.
 

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo....