Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Ex-interno de Dois Irmãos é preso novamente por assalto e estupro

Ex-interno de Dois Irmãos é preso novamente por assalto e estupro
29/01/2010 07:47 -


Beneficiado com o regime domiciliar determinado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Alcizino Valério dos Santos Júnior, 24 anos, voltou à cadeia sete dias depois de ter saído do Presídio de Dois Irmãos do Buriti (PDIB). Ele foi preso após ter ferido a tiro um trabalhador de 19 anos, durante assalto a um mercado na Rua Brigadeiro Tobias, Bairro Taquarussu, em Campo Grande. Antes disso, no último dia 20, data em que foi para casa, estuprou a ex-namorada, de 23 anos. Ela denunciou o caso à Polícia Civil e pediu medidas protetivas. Alcizino chegou ao estabelecimento comercial por volta das 18h30min de quarta-feira e pediu ao caixa quatro cartões telefônicos. Quando o funcionário lhe entregava a mercadoria, anunciou o roubo e exigiu todo o dinheiro que estava no caixa. O trabalhador reagiu dando um soco no rosto do assaltante. Eles começaram a brigar e então Alcizino disparou um tiro, que acertou uma das mãos do empregado do mercado. Uma terceira pessoa entrou no estabelecimento e conseguiu desarmar e deter o assaltante. A Polícia Militar chegou ao local e encaminhou o bandido à Delegacia Especializada de Pronto Atendimento Comunitário (Depac). A lcizino está entre os 85 presos que devem retornar ao PDIB, con forme nova determi nação do TJ/MS. Ele estava preso desde o início de 2006, quando se envolveu no latrocínio contra o jornalista André Luiz da Costa Felipe. Ele foi condenado a 10 anos de prisão por ter emprestado a arma de fogo de onde saíram os cinco tiros que mataram o rapaz. (NC)

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!