Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Fernando Lugo cobra extradição de paraguaios

Fernando Lugo cobra extradição de paraguaios
04/05/2010 07:47 -


O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, disse ontem durante entrevista coletiva no Centro de Convenções de Ponta Porã, durante evento que contou com a presença do presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, que vai continuar buscando provas para convencer o Brasil a extraditar três paraguaios que vivem asilados no País e que supostamente estariam envolvidos com a facção guerrilheira Exército do Povo Paraguaio (EPP).

Conforme o governo paraguaio, Juan Arrom, Anuncio Marti e Victor Colman são soldados do EPP e ameaçavam a estabilidade do país. Foi montada uma operação para tentar prender os três supostos guerrilheiros que acabaram fugindo para o Brasil, onde conseguiram asilo sob alegação de que estariam sofrendo perseguição política.

Lugo disse que as investigações realizadas em seu país apontam que Arrom, Martim e Colman estão envolvidos com as ações guerrilheiras do EPP. “Mas estamos juntando novas provas para convencer o governo brasileiro da importância da extradição deles. Mas fazemos esse pedido respeitando a decisão da justiça brasileira que é totalmente soberana”.

Por outro lado, o presidente Lula foi questionado da decisão de não autorizar a extradição dos acusados, já que são cidadãos paraguaios. Lula disse que pelas investigações feitas pelas autoridades brasileiras não foram adquiridas provas de que os três estejam envolvidos com a facção guerrilheira. “O que foi apresentado até agora não é suficiente nem prova que estejam envolvidos com qualquer atentado. Se conseguirem mais provas faremos nova análise”. (EJA)

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...