Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NEGÓCIOS

Gigante chinês do comércio on-line confirma que lançará ações em NY

Gigante chinês do comércio on-line confirma que lançará ações em NY
16/03/2014 15:45 -


O Alibaba, gigante chinês do comércio virtual, anunciou hoje que decidiu começar o processo de abertura de capital nos EUA, segundo o "Wall Street Journal".

A decisão deve levar a Nova York o que pode ser uma das maiores ofertas públicas iniciais da internet.

Em breve comunicado publicado no site, o Alibaba anunciou que a oferta pública de ações fará a empresa "mais global e transparente". Segundo pessoas familiarizadas com o assunto, a empresa pode levantar até US$ 15 bilhões de dólares.

Os maiores bancos do mundo vêm disputando um papel de liderança nas negociações envolvendo o Alibaba. As transações podem gerar taxas de mais de US$ 150 milhões.

A associação das instituições financeiras com a oferta de ações também pode agregar valor às marcas dos bancos e render futuros negócios.

Hong Kong

A declaração publicada hoje no site também encerra as possibilidades de que a oferta pública de ações fosse feita na bolsa de Hong Kong. O grupo pode considerar listar suas ações na China futuramente, disse a empresa no comunicado, apesar de não mencionar nenhum plano específico.

"Nós respeitamos os pontos de vista e as políticas de Hong Kong e vamos continuar a prestar atenção e apoiar o processo de inovação e desenvolvimento de Hong Kong", diz o texto.
Alibaba X Amazon

De acordo com algumas métricas, o mercado de comércio eletrônico chinês já ultrapassa o americano, e o Alibaba é líder desse segmento.

Segundo uma fonte do "Wall Street Journal", o total negociado no Alibaba no ano passado foi de US$ 240 bilhões, enquanto a Amazon movimentou cerca de US$ 100 bilhões.

A receita do Alibaba, no entanto, é muito menor do que a da Amazon porque a companhia chinesa não vende os produtos diretamente nos seus sites. Contudo, o modelo de negócio do Alibaba é altamente rentável, porque muitos comerciantes que utilizam a plataforma pagam por publicidade e outros serviços adicionais.

Em três meses, até setembro de 2013, a receita do site chinês subiu 51%, para US$ 1,78 bilhões em relação ao ano anterior. O lucro líquido foi de US$ 792 milhões, margem de 44,6%. No mesmo trimestre, a Amazon registrou um prejuízo de US$ 41 milhões e receita de US$ 17,09 bilhões. 

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.