Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FORMAÇÃO DE OFICIAIS

Governo autoriza a convocação de mais 29

Governo autoriza a convocação de mais 29
07/01/2014 13:50 - DA REDAÇÃO


O Governo do Estado autorizou a convocação dos remanescentes do concurso para ingresso no Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, realizado no ano passado. Ainda esta semana, a Secretaria de Estado de Administração e o Comando-Geral da PM publicam o edital para que cinco mulheres e 24 homens refaçam exames de saúde, antropométrico e clínico. A convocação é resultado da necessidade da PM prevista na Lei de Ingresso, n° 3080/2009.

Os chamados são os aprovados em todas as fases do certame, ocorrido em 2013. Eles precisarão refazer os exames de saúde, antropométrico, clínico, de capacitação física e passar por nova investigação social. A exigência é da Lei de Ingresso, devido ao fato de já ter se passado mais de seis meses da realização das etapas.

“O objetivo é confirmar que os candidatos estão com a condição física e de boa saúde para frequentar o curso de formação e se tornar um oficial da Polícia Militar. Em seis meses, pode ter havido mudança na realidade dos candidatos. Precisamos garantir a integridade do candidato e assegurar que apenas os que estiverem realmente preparados iniciem o curso. Ainda precisamos saber se o futuro oficial tem comportamento social compatível com as exigências da profissão”, disse o chefe da Seção de Ensino da PM, tenente-coronel Carlos Hudmax.

Os convocados deverão repetir todos os exames de saúde, nos termos do edital de abertura, e passar pela junta de inspeção médica da PM, na data que será divulgada na próxima publicação em Diário Oficial. As demais fases serão divulgadas em editais posteriores.

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.